Acesso universal à Saúde Reprodutiva

ONU anuncia metas para o novo milénio

09 outubro 2006
  |  Partilhar:

 

Quinhentas mil mulheres morrem todos os anos devido a complicações durante a gravidez ou parto, a maioria das quais vive nos países mais pobres do planeta, anunciou a Organização das Nações Unidas (ONU).
 

 

A divulgação destes dados surge na sequência da adopção pela Assembleia-Geral da ONU do "Acesso universal à Saúde Reprodutiva" nas metas específicas dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio.
 

 

Esta medida vem confirmar a necessidade de reduzir em três quartos a taxa de mortalidade materna, uma diminuição que, segundo a ONU, "só pode ser obtida com uma abordagem global das questões associadas à vida sexual e reprodutiva". Esta nova meta assegura a centralidade e importância do acesso universal à saúde reprodutiva, visando melhorias na saúde maternal e infantil, bem como a redução da pobreza.
 

 

Em Portugal, de acordo com os dados da Direcção-Geral de Saúde, em 2001, a taxa de mortalidade materna foi de 6,20 em cada cem mil mulheres. Manuela Sampaio, Presidente da Associação para o Planeamento Familiar ( APF), refere que, embora Portugal tenha indicadores positivos ao nível da saúde materna, “continua a ter áreas de actuação onde é preciso investir, nomeadamente ao nível do VIH/SIDA e da prevenção do aborto inseguro".
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

MNI-Médicos Na Internet
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.