Acesso à saúde melhorou desde início do século

Estudo publicado na revista “The Lancet”

23 setembro 2016
  |  Partilhar:

Desde o início do século que o mundo registou progressos na saúde, nomeadamente na mortalidade infantil e neonatal ou no acesso aos cuidados de saúde, mas alguns indicadores até pioraram, como a obesidade infantil, a violência doméstica ou o alcoolismo, atesta um estudo publicado na revista “The Lancet”.
 

A investigação, apresentada num evento nas Nações Unidas, em Nova Iorque, é a primeira a avaliar o desempenho dos países nas metas relativas à Saúde inscritas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).
 

Segundo a notícia avançada pela agência lusa, a saúde é um setor central nos ODS: o terceiro objetivo é “garantir vidas saudáveis e promover o bem-estar para todos, em todas as idades” e há indicadores relacionados com a saúde em 11 dos outros 16 objetivos.
 

Os cientistas liderados por Stephen Lim, do Instituto para a Métrica e a Avaliação da Saúde na Universidade de Washington, em Seattle, EUA, usaram dados do estudo sobre o Peso Global da Doença para avaliarem o desempenho de 188 países em 33 dos 47 indicadores relativos à saúde nos ODS, classificando-os num índice que vai de zero (o pior) a 100 (o melhor).
 

Os autores constataram que se verificaram progressos nos indicadores abrangidos pelos ODS, mas não tanto nos indicadores que vão além dos ODS, alguns dos quais até pioraram, como o excesso de peso na infância, a violência doméstica ou o consumo excessivo de álcool.
 

Apesar de 60% dos países já terem alcançado algumas metas para 2030, como a redução da mortalidade materna e infantil, nenhum país alcançou qualquer das nove metas para a eliminação total de doenças como a tuberculose e o VIH.
 

O frágil progresso no combate a estas duas doenças nos últimos 25 anos leva mesmo os autores a considerar irrealista o objetivo de eliminá-las nos próximos 25 anos.
 

O estudo permite ainda concluir que menos de um quinto dos países conseguiu eliminar o baixo peso e baixa estatura nas crianças com menos de cinco anos ou alcançar o acesso universal a fontes seguras e económicas de água e saneamento.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.