Abortos recorrentes podem ter causa genética

Anomalia no cromossoma X é razão de abortos de fetos masculinos

21 novembro 2001
  |  Partilhar:

Quem não conhece casos de mulheres que têm muitos abortos? Se não conhece directamente, pelo menos já deve ter ouvido falar que existem mulheres que engravidam mas têm abortos com muita facilidade. Pois um grupo de investigadores da Escola de Medicina da University of Pittsburgh pensa ter encontrado uma razão genética para que estas situações ocorram.
 

 

Os abortos espontâneos recorrentes constituem um problema comum a muitas mulheres. Segundo os investigadores, uma em cada duzentas mulheres que tentam engravidar sofrem deste problema.
 

 

De acordo com as descobertas de Eric P. Hoffman e seus colaboradores, a anomalia genética detectada provoca abortos espontâneos com maior frequência em fetos do sexo masculino.
 

 

Segundo o artigo publicado no American Journal of Obstetrics and Gynecology, a anomalia genética localiza-se no cromossoma X e os investigadores designaram-na como desvio da inactivação do cromossoma X.
 

 

Como se sabe, o que diferencia os dois sexos da espécie humana são dois cromossomas: X e Y. Os indivíduos do sexo feminino tem dois cromossomas X (XX) e os do sexo masculino tem um cromossoma X e um cromossoma Y (XY).
 

 

Como explicam os investigadores naquele artigo, os fetos do sexo feminino precisam que apenas uma das duas cópias do cromossoma X seja saudável. Uma vez que a anomalia detectada se encontra precisamente no cromossoma X, quando um feto do sexo masculino recebe da mãe a cópia que contém essa anomalia, a sua sobrevivência fica largamente comprometida e, normalmente, estas gravidezes de fetos masculinos não são bem sucedidas, ocorrendo abortos espontâneos ainda no início da gestação.
 

 

Embora esta anomalia genética não tenha cura, estas descobertas podem ajudar as mulheres que já tiveram vários abortos espontâneos sem qualquer causa aparente a avaliar o risco disso acontecer em gravidezes futuras, já que o cromossoma X anómalo pode ser detectado com um simples exame ao sangue.
 

 

Esta notícia traz, certamente, algum alento às mulheres que tentam engravidar mas abortam sem qualquer razão aparentemente justificativa para que tal aconteça.
 

 

De acordo com as conclusões do estudo, a «inclinação de género» verificada nas mulheres com o desvio da inactivação do cromossoma X, faz com que estas mulheres tenham tendência para terem menos filhos do sexo masculino o que, segundo os investigadores, sugere que estas mulheres têm perdas selectivas de concepções masculinas.
 

 

Assim, de acordo com Hoffman e seus colaboradores, é importante identificar as mulheres portadoras desta anomalia para que possam ser aconselhadas e submetidas, se necessário, a um tratamento no âmbito da reprodução médica assistida para levarem as suas gravidezes a bom termo.
 

 

Joaquina Pereira
 

MNI – Médicos na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 1 Comentar

Abortos recorrentes

Estam cumprimentados! Tive 5 abortos recorrentes e sem causa aparente. Gostaria de saber como fazer para receber este tratamento?

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.