A vitamina B3 poderia prevenir o glaucoma?

Estudo publicado na revista “Science”

22 fevereiro 2017
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores descobriu que adicionar vitamina B3 na água consumida por ratinhos geneticamente predispostos a desenvolverem glaucoma, foi eficaz na prevenção da doença.
 
Num estudo liderado por Simon W.M. John, docente no Jackson Laboratory e investigador no Instituto Howard Hughes Medical, EUA, os investigadores ficaram surpreendidos com a eficácia da vitamina B3, que eliminou a grande maioria das alterações moleculares relacionadas com a idade. 
 
Adicionalmente a administração da vitamina aos ratinhos proporcionou uma proteção bastante forte contra o desenvolvimento de glaucoma. Estes achados são bastante promissores na mediada em que poderão conduzir ao desenvolvimento de tratamentos de baixo custo e seguros em pacientes com glaucoma. 
 
Simon W.M. John explicou que “pretendíamos identificar fatores de suscetibilidade relacionados com a idade que são alterados no olho com a idade”. O investigador adiantou ainda que “e deste modo, fazem aumentar a vulnerabilidade à doença e particularmente à doença neuronal”. 
 
Ao perceber o mecanismo geral relacionado com a idade, surge o potencial de se desenvolver novas intervenções para proteger, de forma geral, muitos indivíduos de processos de doenças relacionadas com a idade.
 
Para o estudo os investigadores conduziram uma série de testes metabólicos, genómicos, neurobiológicos e outros em ratinhos que tinham sido geneticamente modificados para apresentarem predisposição para o glaucoma, tendo os resultados sido comparados com os dos ratinhos de um grupo de controlo.
 
Foi descoberto que os níveis de uma molécula vital para o metabolismo energético nos neurónios e outras células, o dinucleótido de nicotinamida e adenina (NAD, sigla em inglês) vão diminuindo à medida que a idade avança. 
 
Esta diminuição nos níveis de NAD leva à redução da fiabilidade do metabolismo da energia dos neurónios, especialmente em situações de stress como o aumento da pressão intraocular. “As falhas irão aumentar com o tempo, resultando em mais danos e progressão de doença”. 
 
Os tratamentos com vitamina B3 fizeram aumentar a fiabilidade metabólica das células ganglionares da retina que se encontravam em processo de envelhecimento, tendo-as mantido mais saudáveis por mais tempo. 
 
Pete Williams, autor principal do estudo explica que “porque essas células ainda se encontrarem saudáveis e robustas de um ponto de vista metabólico”, continuando “mesmo quando ocorre pressão intraocular, elas oferecem melhor resistência aos processos de deterioração”.
 
O glaucoma é uma das doenças neuro-degenerativas mais comuns globalmente, afetando cerca de 80 milhões de pessoas no mundo inteiro. Na maioria dos pacientes de glaucoma ocorre uma enorme pressão danificadora dentro do olho ou pressão intraocular que conduz a uma disfunção progressiva e perda de células ganglionares da retina.
 
As células ganglionares da retina são as células neuronais que ligam o olho ao cérebro através do nervo ótico. O avanço da idade constitui um fator de risco para o glaucoma que contribui para o aumento da pressão intraocular e uma maior vulnerabilidade neuronal a danos induzidos por essa pressão.
 
A equipa irá futuramente procurar conduzir ensaios em pacientes com glaucoma de forma a testar a eficácia da vitamina B3.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Image CAPTCHA
Enter the characters shown in the image.