A origem da gaguez no cérebro

Cientistas alemães localizam gene responsável

01 agosto 2002
  |  Partilhar:

A gaguez permanente é causada por uma anomalia estrutural no hemisfério esquerdo do cérebro, segundo um artigo de cientistas alemães publicado na última edição da revista "The Lancet".
 

 

Os investigadores, das Universidades de Hamburgo e Gottingen (Alemanha), concluíram que a gaguez permanente resulta de uma disfunção nas áreas do córtex cerebral relacionadas com a linguagem.
 

 

A gaguez permanente afecta 1 por cento das pessoas após a puberdade e tem uma componente genética mas, apesar de décadas de pesquisa, a origem e a base estrutural desta desordem permaneciam desconhecidas.
 

 

Os cientistas alemães utilizaram uma técnica de ressonância magnética (MRI) para estudar a estrutura dos tecidos cerebrais em 15 pessoas gagas, comparando depois os resultados com os de um grupo de 15 pessoas com um discurso normal.
 

 

A todos foi pedido que lessem um texto e que falassem, de improviso, sobre um tema da actualidade internacional. O discurso dos participantes foi gravado, ao mesmo tempo que era realizada a ressonância magnética.
 

 

Tecidos diferentes
 

 

Os cientistas concluíram que a estrutura dos tecidos do hemisfério esquerdo do cérebro naqueles que sofriam de gaguez era significativamente diferente da observada no grupo de controlo.
 

 

É nesta região que se interligam as estruturas cerebrais envolvidas no planeamento e articulação do discurso, ou seja, uma perturbação na transmissão do sinal nesta área pode impedir a produção de um discurso fluido.
 

 

O estudo conclui que a gaguez permanente resulta de um erro no tempo de activação nas áreas cerebrais relacionadas com a linguagem, já que a produção de um discurso fluente depende de uma sincronização temporal precisa entre os sistemas articulatório e fonatório.
 

 

"Esta anomalia desenvolve-se provavelmente durante o período de aquisição da linguagem, no qual muitas crianças passam por uma fase transitória de gaguez", explicam os autores.
 

 

Os investigadores esperam agora averiguar, através dos mesmos métodos, porque é que algumas crianças desenvolvem gaguez persistente enquanto outras adquirem um discurso fluente.
 

 

Se a gaguez, como defendem os investigadores alemães, é causada por uma anomalia estrutural no cérebro é pouco provável que a crença comum de que um choque pode causar esta desordem seja verdadeira.
 

 

"Não podemos garantir nada. Contudo é altamente improvável que um choque traumático possa estar na origem da gaguez", explicou, em declarações à Agência Lusa, Christian Buchel, um dos cientistas envolvidos no estudo.
 

 

Buchel sublinhou ainda que, devido ao carácter estrutural da anomalia, será difícil encontrar uma cura para a gaguez, embora existam muitas formas de terapia eficientes para a disfarçar.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.