A menina que não sente dor

Rara anomalia genética na origem da doença

20 janeiro 2005
  |  Partilhar:

 

 

 

 

Ashlyn Blockers tem cinco anos e é portadora de uma rara anomalia genética que se caracteriza por não suar nem sentir dor, e por isso os pais e professores precisam mantê-la vigiada permanente para evitar que se magoe sem perceber.
 

 

A insensibilidade congénita à dor com anidrose (ausência de suor) é uma anomalia caracterizada pela falta de reacção a estímulos nocivos como golpes, cortes, picadas ou contacto com temperaturas muito altas ou muito baixas.
 

 

Não se sabe exactamente quantas pessoas no mundo apresentam esta anomalia.
 

 

O Japão, único país com uma associação para este tipo de pacientes, regista 67 membros. Um centro de estudos da Universidade de Nova Iorque tem 35 pacientes catalogados, 17 deles nos Estados Unidos.
 

 

Em Ashlyn Blockers, a anomalia manifesta-se numa qualidade inquietante: a destemidez. A menina, cujos outros sentidos funcionam normalmente, não pára nem chora quando cai ou se magoa. E como o seu corpo não percebe nem o frio nem o calor, também não reage da forma normal, ou seja, não sua.
 

 

Ashlyn vive na cidade de Patterson, sul da Geórgia, e os seus pais, John e Tara Blocker, nunca tinham ouvido falar nessa anomalia até a levarem ao médico, aos oito meses, por causa de um olho inchado.
 

 

O médico pingou algumas gotas no olho de Ashlyn para colorir qualquer partícula que pudesse estar a causar a irritação e, enquanto a coloração revelava uma enorme ferida na córnea, a menina permanecia a sorrir ao colo da mãe.
 

 

Outros exames demonstraram que Ashley apresenta a anomalia que provoca o que alguns médicos chamam de «anestesia genética», cuja causa não se conhece.
 

 

Um dos problemas comuns nas crianças com esta anomalia é que se ferem a si mesmas sem perceber: durante a dentição, Ashlyn mordia os lábios até sangrar durante o sono e, em determinada altura, enfiou o dedo na boca e arrancou pedaços de pele, sem se dar conta.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.