A importância do rastreio do cancro da mama

Alerta da Liga Portuguesa Contra o Cancro

02 outubro 2014
  |  Partilhar:

A realização de rastreios do cancro da mama é importante na medida em que permite diagnosticar este tipo de tumor numa fase precoce, defende o presidente do Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC).
 

"É necessário diagnosticar os casos de cancro da mama numa fase muito precoce, quando nem sequer são palpáveis: quando a mulher e o médico não palpam qualquer nódulo. E isso só é possível detetar através da realização de uma mamografia e, eventualmente, uma ecografia", explicou à agência Lusa Carlos Oliveira.
 

De acordo com Carlos Oliveira, se for detetado um tumor com cinco milímetros ou menos de um centímetro, na maior parte dos casos, conseguem-se "sobrevivências acima dos 80% aos cinco anos em mulheres atingidas por esta doença".
 

"Estamos a falar de diferenças muito significativas: quando se deteta o tumor da mama não palpável, em cada 100 mulheres há pelo menos 85 que sobrevivem. Se o tumor for detetado porque a mulher o palpou, a sobrevivência em cada 100 mulheres é de 50", disse.
 

O rastreio permite "não só detetar o tumor quando ainda tem dimensões muito reduzidas", como permite "sinalizar lesões que são precursoras de um cancro da mama".
 

"Neste mês, dedicado à prevenção do cancro da mama, o nosso grande objetivo é divulgar o rastreio dirigido a mulheres entre os 45 e os 69 anos, com a realização da mamografia de dois em dois anos", informou.
 

"Prevê-se que em Portugal, no ano de 2030, se verifique um aumento da incidência do cancro da mama na ordem dos 20 a 25% em relação aos dados atuais. Portanto, cada vez vamos ter mais cancros da mama", realçou.
 

A incidência do cancro da mama em Portugal é de "cerca de 80 novos casos por cada 100 mil mulheres, por ano. Temos mais de cinco mil novos casos de cancro da mama por ano em Portugal, mas felizmente temos um número muito grande de sobreviventes. Hoje em dia, há mulheres vivas que estão bem e que tiveram cancro de mama há 5, 10, 15, 20 anos", concluiu.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.