“Proteja os seus rins, salve o seu coração”

Alerta da Sociedade Portuguesa de Nefrologia

11 março 2011
  |  Partilhar:

Os doentes renais crónicos são “mais susceptíveis” de desenvolver doenças cardiovasculares complicadas, nomeadamente o enfarte do miocárdio, alertou a Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN).


O alerta surge no Dia Mundial do Rim, que este ano está subordinado ao tema “Proteja os seus rins, salve o seu coração”, focando a relação entre a doença renal crónica e as doenças cardiovasculares.


Em declarações à agência Lusa, o presidente da SPN, Fernando Nolasco, revelou que “a associação da doença renal com a doença cardiovascular tem um efeito multiplicador”, sendo os acidentes cardiovasculares “uma das grandes causas de morte dos doentes renais”.


O médico sublinhou que é uma “sinergia” que se devia tentar parar, despistando a doença o mais precocemente possível, “no sentido de não ter tantos doentes a fazer diálise”.


Actualmente, existem em Portugal cerca de 16 mil doentes em tratamento substitutivo da função renal (cerca de dois terços em diálise e um terço já transplantados) e cerca dois mil aguardam em lista de espera a possibilidade de um transplante renal.


Entre os que estão à espera de transplante encontram-se crianças. ”Felizmente os números são pequenos, mas tem de haver uma selecção específica para essas crianças, uma tentativa de transplantá-los o mais brevemente possível para obter o melhor equilíbrio da sua função renal e permitir o seu crescimento e desenvolvimento”, defendeu o nefrologista.


O médico explicou que doença renal evolui sem sintomas nos primeiros estádios da doença e quando é detectada normalmente já se encontra num estado muito avançado.


A doença renal crónica é progressiva e caracteriza-se por uma deterioração lenta e irreversível dos rins e das suas funções. Uma das principais funções dos rins consiste na eliminação de substâncias tóxicas resultantes do funcionamento dos órgãos.

 

Os principais sinais de alerta são a pressão arterial elevada, olhos, mãos ou pernas e pés inchados, urina espumosa, com sangue, micção frequente e em grande quantidade, sobretudo durante a noite, perda de apetite e sensação de fraqueza geral ou de cansaço intenso.


ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 3
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.