“No meio do nada”

Associação apoia pais de crianças internadas nos cuidados intensivos

08 março 2012
  |  Partilhar:

“No meio do nada” é uma associação, que nasceu há um ano no Hospital Maria Pia, no Porto, e que apoia os pais de crianças internadas em unidades de cuidados intensivos de todo o país.

 

Este projeto de solidariedade social foi desenvolvido por profissionais de saúde, pediatras, enfermeiros e psicólogos, da Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Pediátrico Maria Pia, mas atualmente já integra uma pediatra da Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais do Centro Hospitalar de S. João.

 

Esta associação foi criada a 08 de março de 2011 e tem a sua sede em instalações localizadas junto ao edifício do Hospital Maria Pia que, na segunda-feira, transferiu todas as crianças para o Hospital de Santo António, onde permanecerão até à conclusão das obras do futuro Centro Materno Infantil do Porto.

 

“Somos profissionais de saúde, mas também somos mães e pais. Por isso, entendemos as angústias e o desespero de quem vê um filho gravemente doente internado nos cuidados intensivos”, explicou à agência Lusa a diretora da associação, a enfermeira Teresa Fraga.

 

O grande objetivo é transmitir-lhes “conforto e esperança”, mas também oferecer “apoio psicológico e material” aos que necessitam.

 

Alimentos, vestuário, brinquedos e material ortopédico são os bens que a instituição mais disponibiliza, mas oferece também apoio monetário sempre que se justifica.

 

“Somos pequeninos e também vivemos da caridade dos outros, mas vamos oferecendo aquilo que nos oferecem a nós, porque é para isso que cá estamos”, frisou.

 

Contam com o apoio de voluntários, de particulares, de empresas e da Câmara do Porto que, recentemente, disponibilizou um apartamento, com três quartos, na zona do Viso, para acolher os pais que se deslocam de longe.

 

Teresa Fraga explicou também que o nome da associação foi, de certa forma, sugerido, pelos próprios pais. “Trabalhamos há muitos anos nos cuidados intensivos e ao falarmos com os pais percebíamos como se sentiam perdidos”.

 

“Quando os filhos ficavam doentes e entravam neste serviço, com muito aparato e muita tecnologia, era como se estivessem no deserto, sem rumo, daí o nome ‘no meio do nada”, especificou.

 

“No meio do nada” sobrevive também com as receitas do livro “Contos com alma”, que resultou de um desafio lançado aos pais que vivenciaram a experiência de ter um filho internado numa UCI. As receitas do livro revertem totalmente a favor da instituição.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.