“Elos da Insuficiência Cardíaca”

Programa de Manejo Integrado da Insuficiência Cardíaca

14 dezembro 2015
  |  Partilhar:
Mais de 50% dos indivíduos com insuficiência cardíaca não estão diagnosticados e metade dos que têm diagnóstico morrem em cinco anos. Esta realidade levou a que especialistas se juntassem para criar um plano de diagnóstico, referenciação e tratamento precoce.
 
O projeto “Elos da Insuficiência Cardíaca” é um Programa de Manejo Integrado da Insuficiência Cardíaca, que resulta de uma parceria entre a Administração Regional de Saúde Lisboa e Vale Tejo, ACES Lisboa Ocidental e Oeiras e Centro Hospitalar Lisboa Ocidental.
 
“Atualmente existe um elevado subdiagnóstico da insuficiência cardíaca, uma vez que mais de 50% dos doentes não estão identificados. Estima-se ainda que 50% dos doentes com diagnóstico de insuficiência cardíaca não sobrevive 5 anos após o diagnóstico, pelo que é fundamental conseguirmos identificar os doentes o quanto antes. Esta doença afetará atualmente cerca de 400 mil pessoas em Portugal e espera-se que o número aumente nos próximos anos”, referiu à agência Lusa, a cardiologista do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, Cândida Fonseca.
 
Este projeto pretende melhorar o índice de suspeita precoce da doença nos cuidados de saúde primários, para diagnóstico precoce, referenciação hospitalar correta, tratamento otimizado precocemente e inclusão do doente em programa multidisciplinar de gestão da insuficiência cardíaca.
 
Desta forma vão ser criados critérios de referenciação e uma “Via Verde” para referenciação dos doentes com insuficiência cardíaca para consulta hospitalar, tratamento hospitalar da insuficiência cardíaca aguda em regime de ambulatório, programas de formação de médicos e enfermeiros e a criação de um programa multidisciplinar de gestão da doença partilhado pelo hospital e pelos cuidados de saúde primários.
 
Este projeto insere-se no programa “Boas Práticas de Governação”, uma iniciativa da Novartis em parceria com a Universidade Nova de Lisboa.
 
Este ano sob o tema “Caminhos para a Humanização”, o programa “Boas Práticas de Governação” teve como objetivo principal a implementação de projetos inovadores que fomentem uma maior articulação entre cuidados de saúde primários e hospitalares, que possam trazer melhorias efetivas para o doente.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.