“Cancro da mama – respostas sempre à mão”

O livro que aborda questões práticas da vida da doente

03 outubro 2010
  |  Partilhar:

“Cancro da mama – respostas sempre à mão” é o título do livro que aborda questões práticas da vida da doente e que pretende preencher um vazio de informação que existe em Portugal sobre esta matéria.

 

O livro que responde a mais de 350 perguntas feitas por pessoas reais sobre todos os aspectos relacionados com o cancro da mama foi elaborado por uma médica, uma enfermeira e uma radioterapeuta oncológica e foi revisto por Maria João Cardoso, cirurgiã mamária oncoplástica do Hospital da Trindade no Porto.

 

Em declarações à agência Lusa, Maria João Cardoso explica que ʺhá pouca literatura organizada em Portugal sobre o assunto. Há livros de testemunhos, mas isso é diferente. Este não é um livro técnico mas também não é de testemunhos. Pretende responder ao antes, durante e depois. São questões simples, com respostas simples e muito variadas. Não é um livro de experiênciasʺ.

 

As pessoas que estão a ser submetidas ao tratamento para o cancro da mama necessitam de informações relacionadas com a vida prática: qual o apoio relativamente ao emprego, o que acontece durante a quimioterapia, se se pode fazer alguma coisa para evitar a queda do cabelo, consequências na vida pessoal, com o marido, os filhos, quais os sintomas exactos, terapias alternativas e até conselhos sobre alimentação e exercício físico.

 

Na opinião da investigadora, estes ʺsão assuntos pouco focados e respostas a questões que as pessoas se inibem de fazer: se tiver alguma dúvida, a quem me posso dirigir, qual a diferença entre os tratamentos, em que consistem, como se lida com o assunto quando o cancro volta ou por que fazer uma mamografia e não uma ecografiaʺ.

 

Este é um livro mais dirigido a pessoas que têm cancro da mama ou familiares, não fala muito da prevenção. Ao contrário de outros países estrangeiros, em Portugal há muita falta de livros e de apoio. ʺAs pessoas fazem terapia mas não de forma complementar. Este tipo de apoio – ter pessoas com quem conversar e que esclareçam aspectos não clínicos da doença - não existe praticamente em Portugal."

 

Em Portugal surgem 4.500 novos casos de cancro da mama por ano. A incidência não tem aumentado, mas também há mais alerta, explicou Maria João Cardoso, acrescentando que não é possível saber com exactidão a taxa de mortalidade associada a esta doença.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 3
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.