“A Depressão dói. Mas pode deixar de doer”

Primeira campanha nacional alerta para doença

05 outubro 2010
  |  Partilhar:

“A Depressão dói. Mas pode deixar de doer” é o mote da primeira campanha nacional integrada sobre depressão que pretende alertar para a sua “dimensão emocional e física”. Trata-se de uma iniciativa da farmacêutica Lilly que conta com o apoio da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental.

 

A campanha começou na semana passada a ser difundida através da televisão, da rádio, da imprensa, dos meios online, de cartazes em unidades de saúde e farmácias e através de uma unidade móvel interactiva que irá percorrer várias cidades até ao início de Dezembro.

 

No camião, as pessoas poderão, através de conteúdos interactivos, perceber o que é a depressão, como se manifesta e quais os sintomas que lhe estão associados, o seu impacto no dia-a-dia dos doentes, visitar as regiões do cérebro envolvidas na depressão e responder a um autodiagnóstico que pode ser impresso para levar a um médico.

 

Dados avançados à agência Lusa pela consultora IMS Health indicam que, entre Setembro de 2009 e Agosto de 2010, foram vendidas em Portugal 6.885 milhões de embalagens de anti-depressivos e estabilizadores de humor (mais 4% em relação ao ano anterior) no valor de 117,1 milhões de euros. Até Agosto de 2009 tinha havido uma descida de 9% do valor destes medicamentos face ao ano anterior.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

 

Partilhe as suas experiências no nosso fórum sobre Depressão.

Partilhar:
Classificações: 37Média: 4
Comentários 58 Comentar