“Stress de guerra” vai ser despistado

Protocolo entre associações de veteranos e o Governo

15 novembro 2007
  |  Partilhar:

O Estado dá esta quinta-feira mais um passo para ajudar os antigos combatentes, vítimas do chamado “stress de guerra”, a tratarem melhor e mais depressa as patologias psicológicas.
 

 

Quase um mês após a publicação do diploma que incluiu, três décadas depois do fim das guerras coloniais, os distúrbios pós-traumáticos de stress (DPTS) na Tabela Nacional de Incapacidades, as associações de veteranos e o Governo assinam, em Lisboa, um protocolo que permitirá a essas organizações não governamentais fazer o despiste da doença.
 

 

O secretário de Estado dos Antigos Combatentes, João Mira Gomes, vai presidir à cerimónia de assinatura, a qual encerra um seminário sobre o tema (na Academia Militar) e onde vão ser abordadas as formas de articulação entre as associações e os hospitais militares no tratamento das vítimas de DPST. Da parte do Governo participam ainda os secretários de Estado da Saúde e Adjunto para a Reabilitação.
 

 

Fonte: DN
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.