“Combater a Malária é lutar contra a pobreza”

Declarações do galardoado pelo Prémio Príncipe Astúrias

22 outubro 2008
  |  Partilhar:

A malária e a pobreza devem ser combatidas em paralelo para evitar as situações de subdesenvolvimento em que permanecem várias nações, defendeu o director do centro de investigação de Saúde de Manhica (Moçambique).
 

 

Pedro Alonso, que dedicou os últimos 21 anos a lutar contra a malária (paludismo) em Moçambique, dirige o centro de Manhica, um dos quatro centros africanos galardoados este ano com o Prémio Príncipe de Astúrias de Cooperação.
 

 

Além do centro de Manhica foram reconhecidos os centros de Kintampo (Ghana), Ifakara (Tanzania) e de Mali, com os quais a entidade moçambicana mantém "estreita cooperação".
 

 

Em conferência de imprensa em Oviedo, onde sexta-feira receberá o galardão, Pedro Alonso afirmou que a malária "é o paradigma da pobreza", sendo "consequência e causa" de que muitos países continuem a arrastar a carga do subdesenvolvimento.
 

 

Fonte: Lusa
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.