“Acumular de erros” originaram as duas mortes em Torres Novas

Relatório da Inspecção-Geral das Actividades em Saúde

22 agosto 2007
  |  Partilhar:

 

A morte de duas pessoas em Torres Novas, em Maio, após paragens cardio-respiratórias deveu-se a um "acumular de erros" de avaliação da emergência médica INEM e dos bombeiros locais, conclui um relatório da Inspecção-Geral das Actividades em Saúde.
 

 

No resumo do relatório a que a Lusa teve acesso, o IGAS aponta um "acumular de erros" na assistência de emergência realizada em Maio último, indicando que os serviços de atendimento do INEM fizeram uma deficiente avaliação da gravidade do caso, confundiram a localização das vítimas e aconselharam um meio inadequado.
 

 

Por outro lado, também os Bombeiros Voluntários de Torres Novas não estão isentos de responsabilidade no sucedido. De acordo com o documento, apesar do "esforço louvável", os bombeiros não contactaram imediatamente - como deveriam - o Centro de Orientação de Doentes Urgentes de Lisboa e Vale do Tejo (CODU LVT) a dar a informação de que as duas vítimas estavam em paragem cardio-respiratória.
 

 

Fonte: Lusa
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.