Queda do cabelo: cirurgia da calvície

Artigo de:

Dr. Edgardo Malheiro - Cirurgião plástico - 07-Jun-2000

  |  Partilhar:

Porque é queo cabelo merece tanta atenção por parte do público em geral? Tanto em populações primitivas como civilizadas, o cabelo tem tido sempre um significado simbólico, considerado como o centro da força, como um símbolo de realeza e estado social, como um fetiche e índice de sensualidade e, mais comumente, como um emblema de juventude.

 

A ausência ou presença de cabelo tem também um significado simbólico de castigo, sacrifício religioso ou luto. Em todas as civilizações o comprimento do cabelo, a presença ou ausência de cabelo e o estilo do penteado têm tido um papel importante em revelar a ocupação do indivíduo, o \"status\" profissional, conduta moral, sexo, idade e estado marital. Assim, é natural que desde o despontar a história, o homem tenha procurado um meio para corrigir ou pelo menos retardar a alopécia que surge por causas hereditárias ou hormonais.

 

Há sempre uma ansiedade normal, ocasionalmente mesmo intensa, acerca da condição geral do cabelo, se está a enfraquecer, se está a cair, se está a acizentar. Também no caso da calvície ser provocada por acidentes, cirurgias tumorais, tratamento com radiações e doenças da pele, entre outros, o paciente procura sempre recuperar o aspecto perdido, de modo a apresentar um melhor aspecto estético, permitindo-lhe uma melhor integração na sociedade e um menor número de problemas psicológicos.

 

Apesar de algumas pessoas aceitarem a calvície, outros sofrem de stress e ansiedade, desejando corrigir a situação. Ultimamente fala-se cada vez mais do tratamento para a queda do cabelo...O tratamento da queda do cabelo e o crescimento em proporção geométrica de candidatos à cirurgia da calvície deve-se à obtenção de resultados cada vez mais naturais e que, com a evolução crescente de novas técnicas, têm chegado bem próximo da normalidade.

 

Quais são os métodos de tratamento cirúrgico disponíveis?

Há basicamente três métodos major de restaurar áreas calvas do escalpe: Os retalhos de zonas do couro cabeludo providas de cabelo para zonas calvas. A redução de escalpe através de excisão fraccionada da alopécia ou com expansores. Os mini e microenxertos de cabelo, conhecidos como transplante capilar.

 

Qual é o tipo de tratamento da calvície mais usado?

Este último método, ou seja o transplante capilar,é o método mais popular e comum de tratamento cirúrgico da calvície. Consiste na remoção de cabelo da região occipital (parte de trás da cabeça) e temporal (parte lateral), onde este é mais denso, e consequente implante na área calva do escalpe. É uma operação permanente, que tem como base o conceito de \"dominância dadora\", chave do sucesso do transplante capilar. Este princípio biológico, aplicado ao transplante capilar, baseia-se no facto de cada folículo piloso possuir o seu próprio mapa genético; deste modo, se um folículo é transplantado para uma outra zona, manterá as suas propriedades genéticas originais, qualquer que seja o local para que seja transplantado.

 

Como se processa o transplante capilar?

Esta técnica é realizada com sedação e anestesia local do doente. Procede-se primeiramente à exérese da área dadora de couro cabeludo, possuidora de cabelo, situada na região occipital ou temporal. Após a remoção, esta região é suturada obtendo-se como sequela final, apenas uma cicatriz. Com bisturi, a faixa de couro cabeludo possuidora de cabelo é dividida e preparada de modo a obtermos os micro (1, 2 a 3 folículos pilosos) e os mini (3 a 5 folículos pilosos) enxertos de couro cabeludo, a implantar na área calva do doente. Com o doente confortavelmente deitado ou sentado, procedemos à introdução dos microenxertos na região calva utilizando uma pinça, após abertura de orifício com agulha. Este procedimento é realizado as vezes necessárias até preenchermos a área calva, enxertando cerca de 2000 a 3000 folículos pilosos.

 

E os resultados são garantidos?

Em toda a entrevista pré-operatória é-se claro quanto à possibilidade e/ou necessidade da 2ª ou até mesmo de uma 3ª etapa cirúrgica. Isto dá ao paciente a certeza das suas possibilidades para obter o melhor resultado. O imediatismo deve ser sempre substituído pela paciência. Esta virtude é fundamental na cirurgia da calvícietanto para o médico, no tocante à abordagem, acto cirúrgico, espera do resultado e tempo mínimo para a realização da 2ª cirurgia, quanto para o paciente, no que se refere a aguardar pelo resultado final, que só virá num período mínimo de 6 meses. Convém salientar que a cirurgia capilar actual, moderna, natural e eficaz, não parece ter a palavra final na solução de todos os problemas da calvície. Alguns pacientes terão de esperar por uma outra forma de ajuda que, certamente, será trazida pela bioquímica e genética.**

 

 

 

 

Artigo de:

Dr. Edgardo Malheiro - Cirurgião plástico - 07-Jun-2000



Partilhar: