Picada: como reduzir os riscos?

Artigo de:

M. Jorge Guimarães - 19-Nov-2000

  |  Partilhar:

O risco de lesõs pode ser substancialmente reduzido, substituindo os instrumentos actuais por outros com sistemas de segurança. Os programas de formação no âmbito das precauções universais e a utilização de contentores de objectos cortantes, só por si, não resolvem o problema das picadas com agulhas.

 

Este cenário só se modificará no dia em que os profissionais de saúde tiverem à mão dispositivos com sistemas de protecção; 85% das picadas com agulhas podem ser evitadas atravês da utilização de dispositivos com sistema de protecção;

 

A utilização de cateteres I.V. com sistema de protecção reduz a ocorrência de picadas com agulhas em 84%; A redução de custos associados às picadas justifica o investimento em material de protecção; Num estudo publicado em 1998, a utilização de cateteres I.V. com sistema de protecção reduziu a ocorrência de picadas com agulhas em 84%, em comparação com os cateteres I.V. convencionais; A utilização de dispositivos seguros representa a forma mais eficaz de reduzir significativamente as lesões percutâneas;

 

As agulhas nunca devem ser reencapsuladas; Paralelamente à adopção de práticas de uso seguras, devem ser utilizados recipientes para objectos cortantes e meios seguros para o seu transporte após a utilização.

 

Apesar das devidas acções educativas e formativas como parte integrante do programa de precauções universais, do fornecimento de equipamento de protecção pessoal e da implementação de sistemas seguros para descartar objectos cortantes, as lesões por picadas com agulhas continuam a ocorrer. A investigação desmonstrou, no entanto, que o risco das picadas com agulhas pode ser significativamente reduzido mediante a substituição dos objectos cortantes convencionais pos dispositivos mais seguros, especialmente concebidos para reduzir o risco de lesões. Estima-se que a utilização dos dispositivos com sistemas de protecção da agulha actualmente disponíveis no mercado, poderiam reduzir em 85% a ocorrência de picadas.

 

Um estudo efectuado em 3 hospitais revelou uma redução de 84% na ocorrência de picadas com agulhas, aquando da comparação de um cateter com sistema de protecção com um cateter convencional. O investimento associado à utilização de material com sistema de protecção pode ser compensado pela redução dos custos suportados pelo profissional, instituição e comunidade, em resultado dos acidentes de exposição ao sangue, especialmente no caso do HIV.

 

Em resumo, para reduzir o risco das lesões por picada deverão ser implementados programas de prevenção que contemplem aspectos como:

* A implementação das precauções universais;

* Acções educativas e formativas quanto aos riscos e à forma de os evitar;

* Fornecimento de mecanismos para descartar objectos cortantes de modo seguro;

* A substituição dos objectos cortantes convencionais por dispositivos mais seguros.

 

Fontes: Ippolito et al. Prevention of occupational blood exposures in health care settings. Prevention, Management, & Chemoprophylaxis of Occupational Exposure to HIV. International Health Care Worker Safety Center, Charlottesville. 1997:44-60.

 

Jagger J. Reducing occupational exposures to bloodborne pathogens: Where do we stand a decade later? Infect Control Hosp Epidemiol 1996;17:573-5. Laufer FH, Chiarello LA. Application of cost-effectiveness methodology to the consideration of needlestick prevention technology. Am J Infect Control 1994;22:75-82. Heapy, J. et al. 1998, Communicable disease and Public Health Vol.1. A code of practice for The Safe Use and Disposal Of Sharps, BMA 1995. British Standards specifications for Sharps Containers (1990) BS 7320 British Standards Institute, London.

Artigo de:

M. Jorge Guimarães - 19-Nov-2000



Partilhar: