Fibromialgia

Artigo de:

Dr. António Marinho - Internista na Unidade de Imunologia Clínica Hospital Santo António - 4-Mar-2009

  |  Partilhar:

O que é?

Fibromialgia é uma síndrome de causa desconhecida, cuja base é a dor muscular difusa e a fadiga. É uma doença que evolui cronicamente, mas é sobretudo um diagnóstico de exclusão, pois um grande número de patologias tem como manifestações clínicas sintomas semelhantes. Fibromialgia também é conhecida por fibrosite ou fibromiosite.

 

Qual a sua frequência?

A frequência real não é conhecida em Portugal. As causas para este desconhecimento estão centradas na ausência de exames que confirmem este diagnóstico, na baixa procura de apoio médico dos doentes com dor crónica e na ausência de um registo nacional desta doença. Estima-se que 6 milhões de Americanos sofram de fibromialgia, estimando-se que 9 em cada 10 sejam Mulheres, e que na sua maioria terão tido dificuldades na adolescência ou sejam muito vulneráveis ao Stress.

 

Quais são as causas?

A fibromialgia é uma doença de causa desconhecida, no entanto uma série de diagnósticos diferenciais devem ser colocados e investigados, pois são causa da dita fibromialgia secundária, ou seja dores musculares generalizadas com causa potencialmente tratável. Nestes distinguem-se as síndromes depressivos, as doenças associadas ao distúrbio do sono (síndrome de apneia do sono, síndrome das pernas inquietas), doenças neurológicas atingindo os músculos (doenças neuromusculares, musculares inflamatórias, Miastenia Gravis entre outras) e algumas doenças infecciosas (doença de Lyme ou febre da carraça por exemplo.)

 

Como se pode prevenir?

Trata-se de uma doença complexa, sem prevenção, portanto esta deve ser baseada nos cuidados gerais da sociedade, como uma vida regrada, boa higiene do sono, exercício físico regular, alimentação saudável e medidas de combate ao stress excessivo e prolongado.

 

Como se manifesta?

A doença baseia-se em 2 sintomas fundamentais: a fadiga e a dor muscular crónica. A fadiga, é dita excessiva, sem factores reparadores, associada a um sono não recuperador, sendo comum a queixa de que se acorda mais cansado do que se deita. A dor muscular é classificada como insuportável, o mínimo toque desperta dor e a incapacidade funcional é a marca principal e causa de grande absentismo laboral.

 

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é colocado quando o doente cumpre um conjunto de 18 pontos corporais dolorosos ao mínimo toque e foram excluídas de forma correcta as causas secundárias da doença.

 

Qual o tratamento?

Não existe um tratamento definido e deve ser encarada como uma doença crónica com necessidade de cuidados multidisciplinares: tratamento da dor crónica com analgésicos e moduladores da dor, tratamento farmacológico da insónia e da depressão, apoio psiquiátrico e psicoterapia, exercício físico regular e adequado planeado pela Medicina física e reabilitação e adequação das funções às limitações de cada um.

 

Qual é o prognóstico?

O prognóstico da fibromialgia primária é mau e condena o utente a dor crónica e limitações funcionais que nunca melhoram completamente, apenas podem ficar mais suportáveis com a optimização dos cuidados gerais de saúde.
 

Artigo de:

Dr. António Marinho - Internista na Unidade de Imunologia Clínica Hospital Santo António - 4-Mar-2009



Partilhar: