Dentes: O desenvolvimento dos dentes

Artigo de:

Dra. Elisa Proença Fernandes - Pediatra - 23-Jan-2001

  |  Partilhar:

Revisto por:

Dr. José Matos - Pediatra - 22-Mai-2009

O que é ?

O desenvolvimento dos dentes compreende três fases: a mineralização (calcificação), a erupção (quando os dentes rompem) e a esfoliação (quando caem). A mineralização começa ainda no período pré-natal e continua até aos 3 anos para a primeira dentição, também chamada “dentição decídua” ou "dentes de leite", e até aos 25 anos para a segunda ou dentição permanente. Em geral, a erupção inicia-se por volta dos 6 meses e os primeiros dentes a romper costumam ser os incisivos inferiores (a meio da gengiva de baixo), seguidos pelos incisivos superiores; posteriormente, rompem os outros até completar a dentição decídua, composta por 20 dentes, até aos 3 anos. Quando uma criança aos 13 meses ainda não tem dentes, considera-se existir uma erupção tardia e, nesta altura, convém investigar as causas. Factores de carácter genético são a causa mais provável.

 

Factores de risco


As causas para uma queda precoce, para além de factores idiopáticos, são os traumatismos e algumas doenças raras. A erupção da dentição permanente pode iniciar-se logo a seguir à esfoliação (queda) ou pode haver um intervalo de 4-5 meses. De seguida, é apresentado um quadro que mostra a altura do aparecimento. No entanto, é importante lembrar que estes limites de idade e ordem de acontecimentos não são rígidos, podendo haver algumas oscilações. Os primeiros dentes rompem:

 

Erupção dos Dentes de Leite
Dente Mandíbula Maxilar
Incisivo Central 6-10 meses 8-12 meses
Incisivo Lateral 10-16 meses 9-13 meses
Canino 17-23 meses 16-22 meses
Primeiro Molar 14-18 meses 13-19 meses
Segundo Molar 23-31 meses 25-33 meses
Os períodos de erupção indicados são uma média e podem variar em 2 meses. Academia Americana de Odontologia Pediátrica.

Sinais e sintomas

O aparecimento da dentição é acompanhado de dores, inflamação das gengivas, salivação abundante, alteração nos padrões de sono e alimentação, vontade de morder objectos, irritabilidade inconstante e “assadura” na região nadegueira. O processo da erupção dentária não provoca febre, como muita gente pensa; se existir febre ou se o seu filho estiver muito desconfortável, procure orientação do seu médico assistente.


Tratamento

Para ajudar a aliviar o desconforto do aparecimento da dentição, tente aplicar na gengiva gel próprio que encontra nas farmácias, argolas ou brinquedos de borracha dura (colocá-los previamente no congelador: o frio suaviza e anestesia as gengivas doridas) ou, eventualmente, dar paracetamol para bebés.
A dentição é um processo natural e que faz parte do crescimento. A dor não pode ser evitada, ela pode, sim, ser minimizada.
Quando acabar a fase da dentição, cuide diariamente dos dentes do seu filho, utilizando uma escova macia e uma pasta infantil.


NÃO AUTOMEDIQUE O SEU FILHO
RECORRA AO SEU MÉDICO ASSISTENTE

 

Artigo de:

Dra. Elisa Proença Fernandes - Pediatra - 23-Jan-2001

Revisto por:

Dr. José Matos - Pediatra - 22-Mai-2009



Partilhar: