Cancro - sinais de alarme

Artigo de:

Dr. António Fontelonga - Internista, Oncologista e Hematologista - 4-Abri-2001

  |  Partilhar:

Revisto por:

Dr. António Marinho - Internista - 23-Jul-2009

O que são sinais de alarme?

São um conjunto de sinais clínicos (e sintomas) que nos colocam na pista do diagnóstico precoce de um tumor.

 

Qual a importância de um diagnóstico precoce?

Para maioria dos cancros é fundamental o diagnóstico precoce, uma vez que ele pode levar à cura ou a uma remissão prolongada. Um tumor é uma massa de células malignas que crescem de forma anormal, pois escapam ao controlo do organismo, podendo difundir-se e formar massas em outros órgãos. A isso chama-se habitualmente “metástases”. Nessa altura, os tumores são, na sua maioria, incuráveis. Nesse sentido, é fundamental conhecer os sinais de alarme e cumprir os métodos de rastreio e detecção precoce. Para isso, as consultas médicas periódicas são importantes uma vez que elas permitem avisar o médico assistente de qualquer mudança nos padrões habituais de saúde.

 

Quais são os principais sinais de alarme?

Podemos dividi-los em 2 tipos: gerais e específicos de órgão ou sistema.

 

Gerais:
- Perda de peso não explicada.
- Perda de apetite.
- Fadiga não explicada.
- Dores musculares ou articulares repetidas não explicadas por exercício excessivo ou doença degenerativa.

 

Específicos:
- Rouquidão de novo e tosse seca persistentes.
- Expectoração repetida, sobretudo se estiver acompanhada de sangue.
- Escorrência mamilar ou nódulo mamário não conhecido.
- Sinal na pele que cresce e se torne irregular ou sangra.
- Saciedade precoce e más digestões com enfartamento depois de comer.
- Perdas de sangue pelo ânus.
- Alternância obstipação/diarreia.

- Perdas de sangue vaginal persistente, sobretudo se pós-menopáusica.
- Aparecimento de qualquer tumefacção de novo.


 

Artigo de:

Dr. António Fontelonga - Internista, Oncologista e Hematologista - 4-Abri-2001

Revisto por:

Dr. António Marinho - Internista - 23-Jul-2009



Partilhar: