Cancro da pele: bloqueie o sol, não a brincadeira

Artigo de:

Dra. Elisa Proença Fernandes - Pediatra - 01-Jul-2000

  |  Partilhar:

Enquanto não forem tomadas as devidas medidas, os números do cancro de pele continuam a aumentar, sendo mais de 1 milhão de novos casos diagnosticados anualmente nos EUA; cerca de 38000 são melanomas malignos, que parecem resultar mais de exposições solares intensas intermitentes, do que da exposição cumulativa que predispõe ao desenvolvimento de outros tipos de cancro de pele.

 

Como aproximadamente 80% da nossa exposição solar ocorre nas primeiras 2 décadas de vida, a protecção neste perÌodo deve ser cuidadosa, o que poderá reduzir o risco em cerca de 78%.

 

É assim importante que os pais e também os filhos compreendam a importância da proteção solar, podendo usufruir de todos os benefÌcios do sol durante o Verão, sem esquecer algumas medidas:

 

1- Vestir as crianças com roupas frescas e hidratá-las frequentemente;

 

2- Nunca expor os bebés mais pequenos (especialmente com menos de 6 meses) directamente ao sol;

 

3- Muitos dos protectores solares comercializados não oferecem uma protecão perfeita. Apesar da maioria dos protectores químicos (aqueles que absorvem a radiação ultravioleta- UV) protegerem adequadamente da UVB, não o fazem correctamente da UVA. Assim, deve ser escolhido um protector solar com agentes físicos com elevado índice de proteção (nunca menos de 15), que bloqueia correctamente ambas as radiações, provoca menos alergias e actualmente já não põe problemas estéticos.

 

Aplicá-lo cerca de 20 minutos antes da exposição ao sol, ou seja antes da criança sair de casa e como a transpiração e os banhos podem reduzir a eficácia deve ser resistente à água e renovado frequentemente. Não deixar a embalagem exposta ao sol. Os protectores solares podem ser utilizados nos bebés mais pequenos; embora não tenham sido efectuados estudos em crianças com menos de 6 meses, tudo leva a crer que são seguros.

 

4- O uso de protectores solares deve ser parte de um plano mais alargado de proteção solar que deve incluir roupa, chapéu e guarda-sol (não esquecer que os UV reflectem na superfície e podem queimar desta forma). Actualmente existem óculos com proteção para UVA e UVB especialmente fabricados para crianças. Muito importante é evitar a exposição quando a UVB é mais intensa - das 11 às 16 horas-, e proteger também com o tempo nublado. 5- No caso de eritema solar (pele vermelha por queimadura solar), deve ser utilizado um creme hidratante e evitar totalmente o sol; se surgir bolha é melhor consultar o seu médico.


 

Artigo de:

Dra. Elisa Proença Fernandes - Pediatra - 01-Jul-2000



Partilhar: