Alterações cutâneas do recém-nascido

Artigo de:

Dra. Elisa Proença Fernandes - Pediatra - 11-Jan-2000

  |  Partilhar:

Revisto por:

Dr. José Matos - Pediatra - 26-Jun-2009

Ao nível da pele, existe uma série de manchas que podem estar presentes no corpo do recém-nascido no nascimento e que, muitas vezes, são motivo de ansiedade e angústia maternas. Muitas são lesões benignas, que não necessitam de tratamento, e que tendem a desaparecer com o crescimento da criança.

 

As manchas mongólicas são áreas pigmentadas, de cor azulada, com tamanho variável, localizadas mais frequentemente no fundo das costas (na região lombo-sagrada e nas nádegas). Não têm significado patológico e esmaecem com o crescimento, desaparecendo habitualmente até aos 4 anos de idade.

 

As manchas salmão são pequenas lesões vasculares, de coloração rosa-pálido, presentes em 30 a 40% dos recém-nascidos normais, localizadas habitualmente na testa, pálpebras, lábio superior e nuca. Com o choro e com as alterações da temperatura ambiente podem tornar-se mais evidentes. São transitórias e desaparecem com o crescimento.

 

A mancha vinho do Porto (geralmente unilateral) é uma lesão permanente que aparece mais frequentemente na cara e tronco e que escurece à medida que a idade avança. Estas lesões devem ser seguidas por médico pediatra.

 

Os chamados hemangiomas em morango, conhecidos vulgarmente por flores, surgem como manchas de cor vermelho-vivo, com limites bem definidos, em qualquer parte do corpo, nos primeiros meses de vida e podem desaparecer até aos 7-10 anos de idade. As meninas são mais afectadas. Normalmente, o único tratamento consiste na observação, embora, em alguns casos, possa haver complicações, quer pela localização quer por problemas locais, como ulceração ou, raramente, hemorragia.

 

Os nevos melanocíticos congénitos, vulgarmente designados por sinais, estão presentes em cerca de 1% dos recém-nascidos normais, sendo, por vezes, difícil ter a certeza de que estavam presentes logo no nascimento. Quanto ao tamanho, podem ser classificados em pequenos (inferiores a 2 cm), intermédios (2-20 cm) e gigantes (superiores a 20 cm). Os nevos pequenos podem ser planos ou salientes e ter tonalidade castanha, negra ou azul. Relativamente aos nevos congénitos gigantes, eles devem ser acompanhados logo desde o nascimento.

 

A acrocianose é uma coloração azulada simétrica nos lábios, mãos e pés. É comum nos recém-nascidos, sendo mais visível nos períodos de choro, amamentação e exposição ao frio. É fisiológica, melhora com o aquecimento e não tem significado patológico.

 

A cútis marmorata fisiológica apresenta-se como uma mancha violácea no tronco e extremidades, que se pode acentuar com o frio. Se persistir para além dos seis meses de idade pode ser um sinal de cútis marmorata telangiectásica congénita, com o mesmo aspecto, podendo, no entanto, provocar atrofia e ulceração da pele. Deve ser observada por médico pediatra.

Artigo de:

Dra. Elisa Proença Fernandes - Pediatra - 11-Jan-2000

Revisto por:

Dr. José Matos - Pediatra - 26-Jun-2009



Partilhar: