Soluções p/redução acidentes:

Melhor preparação cívica.
Maior experiência na estrada.
Médios ligados nas estradas de tolerância 0 e em todas as situações de redução de luminosidade.( ou para grandes males grandes remédios: SEMPRE como os motociclos...)
.....

RE: Soluções p/redução acidentes:

Eliminar ambiguidades nas vias com 3 faixas de rodagem e SEM traços contínuos a clarificar quem pode utilizar onde.

Má sinalização ou insuficiente.

RE: Soluções p/redução acidentes:

A Paciência além de ser um anti-stress é óptima para evitar acidentes.E é sinal de maturidade. Não queira que o tratem como imaturo ou rapazola...
Já reparou que quando se anda a cheirar o rabo do veículo da frente o acidente em cadeia aproxima-se muito rapidamente?

RE: Soluções p/redução acidentes:

Absolutamente de acordo quanto a manter uma distância segura entre o carro da frente e aquele em que vamos. Nos Estados Unidos existe uma regra interessante, para circular com segurança nas auto estradas, que é a seguinte: Deve-se poder dizer One thousand, two thousand, three thousand até passar pelo mesmo ponto por onde passou o carro que vai à frente. Ou manter uma distância de dois carros entre o carro da frente e o nosso.
Mais uma sugestão para redução no número de acidentes, que pode parecer simples demais, mas acreditem tem os seus efeitos, seria a de pintar a linha de separação entre duas faixas de circulação de amarelo, em vez de branco. A cor amarelo estabelece uma associação mental a algo de proibído ou arriscado e poderá demover as pessoas de fazerem ultrapassagens perigosa. Porque não tentar?

Opinião

Opinião.

Saiu recentemente um artigo no Jornal Expresso, opinião editorial, intitulado Guerra à Velocidade sobre segurança rodoviária, apropósito do acidente da semana passada onde faleceram oito pessoas, a maioria das quais com menos de 25 anos. O autor do artigo critica a forma como, mais uma vez, se atiram as culpas para a estrada, neste caso a IP4 e se desculpabiliza e desresponsabiliza os condutores, como se os acidentes só escolhessem as estradas em mau estado, o que, como todos sabemos, não é verdade. Até aí tudo bem.

O que não se pode aceitar é que no mesmo artigo, se sugira que o Governo aumente o limite de velocidade nas auto-estradas para contrariar as constantes infracções aos limites impostos. Na origem do conceito de limite de velocidade existem, concerteza, estudos que comprovam que certos limites são aconselháveis enquanto outros não são. Ora, num país onde a tendência é andar sempre no limite, ou acima, se aumentarmos estes valores a tendência manter-se-á, só que a velocidades mais elevadas, e com consequências mais desastrosas, será de prever.

O que se deveria fazer era precisamente o contrário, já não digo quanto ao limite mínimo mas certamente quanto ao máximo. Posso citar, como exemplo, os Estados Unidos, mais precisamente a California, que é dotada de estradas e auto-estradas de excelente qualidade e onde o limite máximo são 65 milhas/hora, o que corresponde a cerca de 105 Km/hora e este limite só foi implementado há cerca de 4/5 anos, pois antes disso era de 55 milhas/hora.

Participe nos nossos grupos de apoio e discussão e diga-nos o que pensa sobre este assunto, envie-nos as suas sugestões. Colabore connosco na partilha de ideias e possíveis soluções.

Cristina Pamplona
MNI- Médicos na Internet

RE: Soluções p/redução acidentes:

Isso das linhas amarelas pode ser uma boa solução, mas penso que seria necessário arranjar uma forma de se verem as linhas à noite, com chuva. Frequentemente, essas linhas ficam invisiveis.
Também já li aqui que não devemos culpar as estradas, mas sim os condutores. Também estou de acordo, mas não há regra sem excepção. Por exemplo, quando chove, não umas pinginhas, mas quando chove a sério no Porto, é frequente encontrar-se lagos de água na VCI. Eu costumo passar diariamente na VCI à noite e com chuva, e por vezes, mesmo a 80 Km/h sinto dificuldades em controlar o carro. Como é que é possível haverem lagos numa via rápida?