Roaccutan

Ja ha alguns anos, dermatologistas portugueses tem prescrevido Roaccutan nos casos de acne cronico, gostaria de saber mais sobre os efeitos positivos deste medicamento e por algumas questoes aqueles que o administraram.

Os resultados do Roaccutan são realmente tao surpreendentes que compensem os estragos provocados no decorrer do tratamento?

Ate que ponto este tratamento pode afectar o organismo apos o seu termino?

Qual seria o duracao maxima aconselhavel de um tratamento com este produto?

Quais os factores a ter em conta quando se administra este produto?

Podera haver um controle deste tratamento recorrendo a analizes periodicas que identifiquem anomalias no organismo enfluenciadas pelo medicamento?

Já tomou roaccutam? Qual a sua esperiencia com este produto?

Cumprimentos,

Helena Cunha

RE: Roaccutan

Olá, o meu nome é Marta:
Vim pesquisar este site e vi a palavra ACNE e decidi ver do que falava.
Nunca ouvi falar deste tratamento mas gostava de ter mais informações sobre ele, porque eu tenho acne e já experimentei muitos tratamentos que pouco ou nada fizeram.
Peço, portanto, encarecidamente que, se possivel me disponibilize mais informações.

Marta Alves

RE: Roaccutan

Marta,

Não sou a pessoa indicada para lhe esclarecer sobre este produto. Espero que algum dermatologista ou algum paciente com esperiencia neste produto, junte-se a nós neste forum.

Como você tambem fiz varios tratamentos ( alguns ajudaram) mas não obtive o resultado por mim pretendido.

O Roaccutan é um produto da Roche, derivado da isotretinoina, que reduz a produção de lípidos, diminuindo os processos inflamatórios da pele e evitando a formação de comedogeneos. Tem sido usados há alguns anos obtendo excelentes resultados (pelo que se diz).
Alguns médicos portugueses têm prescrevido este produto aos seus doentes nos ultimos 3 anos(pelo menos).

Este produto, apesar do seu sucesso, não é bem tolerado pelo organismo originando uma série de reações desagradáveis. No início do tramamento, como efeitos secundários mais frequentes surge a secura de lábios, nariz, olhos e mucosas em geral, surgindo descamações, conjutivites, hemorragias nasais, comichão, queda de cabelo... bem e outras enfermidades relacionadas com essa diminuição da produção de lípidos. Mas como o Roaccutan é administrado oralmente... todo o organismo é afectado pela isotretinoina, causando agressões nomeadamente nos intestinos, musculos e articulações, sistema nervoso, rins, figado... bem... e ainda uma série de outros pequenos/grandes problemas que vao surgindo no decorrer do tratamento.

É por essa longa lista de efeitos colaterais que gostaria de confrontar as opniões de especialistas e pacientes nesta discussão, pois tenho certeza que será válido para ambas as partes.

Cumprimentos,

Helena Cunha

RE: Roaccutan

O acne é uma doença auto-limitada muito frequente, afectando em grau variável até 90% dos adolescentes. Não sendo por alguns considerado uma doença, dada a sua “excessiva” frequência, que faz com que estes o considerem quase “fisiológico”, não é na imensa maioria dos casos uma doença grave. Todavia, numa época em que o aspecto exterior do indivíduo é tão importante, o desfiguramento que as formas mais severas podem determinar é fonte de importante morbilidade, se considerarmos a saúde no sentido mais lato de bem estar físico, psíquico, social e mesmo económico da pessoa. Impõe-se assim um despiste das formas potencialmente mais deletérias para pronta instituição de tratamento preventivo de danos posteriores.
Existem várias formas clínicas de acne, afectando diversos grupos de doentes, assumindo expressões que são moduladas por factores tão diversos como o sexo, idade, hábitos pessoais de higiene, factores emocionais, ocupacionais, medicamentosos, endocrinológicos, genéticos, etc.
A terapêutica deve ser assim individualizada, integrando todos estes factores, o incómodo que a doença representa para o doente, a resposta a tratamentos prévios e os efeitos adversos experimentados. É indispensável uma observação clínica e nalguns casos a realização de estudos adicionais, nomeadamente laboratoriais para se poder assumir adequadamente a terapêutica de cada caso clínico. Grosso modo, foi estimado que 10% dos afectados requerem acompanhamento médico, sendo que cerca de 1% dos doentes apresentam formas mais graves e refractárias aos tratamentos habituais.
A isotretinoina (ou ácido 13-cis retinóico)é um dos medicamentos usados para o tratamento destas formas mais graves de acne. É de facto usado, em Portugal e no estrangeiro, há já alguns anos. O seu modo de acção não é ainda perfeitamente conhecido. Um dos efeitos observados é uma profunda e duradoura inibição da actividade das glândulas sebáceas, além de possuir ainda uma ainda incompletamente compreendida actividade anti-inflamatória no acne, e uma acção reguladora do padrão de diferenciação do folículo piloso.
O seu uso acarreta efeitos secundários que são constantes e que a Helena citou, como a secura de lábios, nariz, olhos e que reproduzem até certo ponto os do excesso de vitamina A, de que a isotretinoina é um derivado sintético. Estes efeitos adversos são no entanto bem tolerados na maioria dos doentes. Os outros efeitos são muitíssimo mais raros e não se correlacionam como disse com uma diminuição da produção de lípidos. De facto por vezes pode acontecer precisamente o contrário, um aumento dos lípidos sanguíneos. Obviamente não é um medicamento que se possa tomar sem acompanhamento médico adequado, para discutir a sua indicação (ou não), e para monitorização clínica e laboratorial do tratamento. Dito isto dir-lhe-ia que com esta ressalva de um acompanhamento médico adequado, é um medicamento extremamente útil que veio até certo ponto revolucionar o tratamento das formas severas de acne, e com estas condições cumpridas, seguro.
Não quero terminar sem mencionar o principal inconveniente deste medicamento e que não foi por si abordado. A isotretinoina é fortemente teratogénica, pelo que requer uma contracepção eficaz iniciada um mês antes do tratamento, durante toda a duração deste e até um mês depois. Este é o principal factor limitante da sua utilização no sexo feminino e que deve fazer ponderar bem a sua indicação terapêutica.

Marta e Helena, as vossas questões fariam no entanto mais sentido no contexto do Serviço de Aconselhamento Médico (SAM) que será implementado brevemente.
Atenciosamente

Hugo S. Oliveira
Dermatologista

RE: Roaccutan

Chamo-me Vanessa e já tomei Roaccutan durante 6 meses, receitado pelo meu actual dermatologista. O meu acne nunca foi muito grave até há 2 anos atrás.Fiquei realmente preocupada pelo facto de aos 20 anos ter piorado muito. Fiz uma série de análises antes de iniciar o tratamento, mais para saber os meus níveis de colesterol. Ao fim dos 6 meses de tratamento, fiquei e ainda hoje estou completamente bem! Também, foram cerca de 800 comprimidos de Roaccutam, fora uns outros que tomei e que eram Vitamina E.
Já quase passaram 2 anos e estou bem, conforme já referi atrás, no entanto coincidência, ou não, apareceram-me nestes dois últimos anos alguns sinais. Falei com o dermatologista que me disse que poderá ter havido uma falha no que diz respeito à protecção solar que deveria ter sido feita e não foi! Hoje uso um protector solar de factor 75, por isso não fico lá muito morena. Mas também já não me interessa o bronzeado, prefiro mesmo ter uma pele limpa sem borbulhas e sem sardas e sinais.
Tenho mais duas colegas que também fizeram este tratamento, aliás, foram elas que me recomendaram o meu actual dermatologista e estão também muito bem! Não sei até que ponto este tratamento vos fará bem. O que o meu médico me diz é o seguinte: acne nunca matou, mas que deixa cicatrizes físicas e psicológicas deixa.
Com os melhores cumprimentos
Vanessa

RE: Roaccutan

Em complemento das informações prestadas pelo Dr Hugo Oliveiran e no seguimento do depoimento da Vanessa, cumpre-me salientar que a Isotretinoína (RoAccutan) é de facto um excelente tratamento para as formas graves, persistentes ou refractárias de Acne. Trata-se de um fármaco de exclusiva prescrição médica, sendo que o seu uso implica um acompanhamento médico aturado nos planos clínico e laboratorial.
A adicionar às informações previamente prestadas cumpre referir que a sua utilização durante a época estival deve ser ponderada caso-a-caso dado que se pode verificar menor tolerância à exposição solar com episódios mais ou menos graves de queimaduras solares. Tal é igualmente extensivo ao uso de solários artificiais que, de resto, deverão ser evitados em todos os casos!
O depoimento da Vanessa é muito rico ao chamar a atenção para este problema, bem como para referir a utilização conjunta, durante o seu tratamento, de Vit. E, terapêutica que tem sido usada com sucesso para minorar os efeitos laterias cutâneo-mucosos da Isotretinoina. Igualmente nos chama a atenção para a repercussão psicológica da Acne, para as cicatrizesmorais/psicológicas que mtas vezes contribuem para afectar a auto-estima e a vida de relação de quem sofre desta doença.
Para concluir quero apenas chamar a atenção para o facto de que hoje existem múltiplos fármacos eficazes para o tratamento e controlo deste problema sendo que a sua utilização deverá ser objecto de ponderação do Dermatologista, tendo em atenção:
O sexo e a idade do doente
O tipo de lesões predominantes
A sua extensão e gravidade
A repercussão sobre a vida do doente
A evolução cicatricial ou não das lesões
A terapêutica é pois na maioria das vezes individualizada, sendo que a prescrição deve ser sempre explicada ao doente de molde a garantir uma adequada adesão e uma óptima equipa terapêutica
Rui Tavares-Bello
Dermatologista

RE: Roaccutan

Éstou a tomar e realmente os resultados são muito bons

RE: Roaccutan

Gostar daquilo que se faz , não é propriamente gostar daquilo que se tem de fazer... Com o Roaccutan é a mesma coisa , em sentido figurado, uma vez que se gosta do resultado final, mas nem tanto da terapêutica em si. Contudo, não quero deixar de dar o meu exemplo!
O mais importante é de facto ser observado por um Dermatologista e este será a pessoa mais indicada para esclarecer qualquer dúvida:a nível da gravidade de cada situação, bem como qual a terapêutica adequada, pois o facto de um conhecido meu ter tomado o Roaccutan, não significa que eu também tenha de o tomar!
Em complemento de alguns efeitos adversos já referenciados tanto por Dermatologistas, como por algumas pessoas que já o tomaram queria referir o facto de na fase inicial do tratamento haver a possibilidade de um agravamento das lesões... foi o meu caso!
Não é de facto muito animador, mas é um processo transitório, passados esses, sensivelmente, dois meses começam os sinais dos primeiros resultados ! Não desanimem...

RE: Roaccutan

Alguém notou queda de cabelo durante o tratamento, e após? os cabelos estão como antes ou estão mais finos?

RE: Roaccutan

Tendo visto a sua resposta à Helena e à Marta, fiquei bastante tranquilizado.
Tenho 25 anos e acne desde os 13. Aos 17 fiz tratamento com Roaccutan, que resultou por completo e desde então vejo-me forçado a fazer um tratamento de manutenção(1/8 da dose recomendada para tratamento efectivo, ou seja 10 mg dia sim dia não), caso contrário, o acne volta. As análises sanguíneas nunca acusaram nada.
Mas há dois problemas: não posso tomar isto para sempre, pelo queria recorrer a terapias alternativas modernas. O segundo problema é que o Roaccutan seca mesmo as mucosas, incluindo as do pénis, levando a perda de sensibilidade e capacidade de estimulação. Isto é um grande inconveniente. Uso creme gordo Barral, mas não resolve completamente. O que é que posso fazer para resolver isto?
Sem outro assunto de momento.
Apresento os meus melhores cumprimentos.

Marco

RE: Roaccutan

DR. Rui Tavares-Belo:

Venho por esta forma solitar-lhe esclarecimentos, depois de ver a sua mensagem. Tenho 25 anos e acne desde os 13, fiz tratamento com Roaccutan aos 17, que resultou, e desde aí que tenho que fazer um tratamento de manutenção, com 1/8 da dose recomendada para tratamento efectivo(ou seja, 10 mg dia sim dia não), porque senão o acne volta. Mas isso seca as mucosas, e no pénis é problemático, porque faz perder sensibilidade e capacidade de estimulação. Uso creme gordo Barral, que ajuda um pouco. Bebo muita água. O que é que posso fazer para resolver este sério inconveniente ? A vitamina E que referiu pode actuar neste aspecto? Sob que forma e qual o nome do produto que devo usar?
Haverá outro produto que resolva este problema específico.
Sem outro assunto de momento.
Apresento os meus melhores cumprimentos.

Marco

Página 1 de 5