Regeneração de óleos

3 Junho 2000

Empresa de tratamento de óleos quer apostar na regeneração

A empresa Auto-Vila, que em Leiria se dedica à preparação
de óleos usados para queima em fornos industriais, está apostada
na instalação da primeira unidade de regeneração de óleos em
Portugal.
A instalação desta unidade só será viável se o Governo
proibir a queima de óleos em fábricas - à semelhança do que já se
verifica noutros países da União Europeia -, passando a Auto-Vila
a dedicar-se apenas à regeneração, abandonando a sua principal
actividade actual.
Em Portugal, se esta legislação fosse aplicada, isso
implicaria a recuperação de 3 a 3,5 milhões de litros mensais de
óleos usados.

Mais: http://www.lusa.pt

Lubrificantes em hipermercados

7 Junho, 2000

Quercus quer proibição de venda de lubrificantes nos hipermercados

A associação ambientalista Quercus defendeu ontem, em Gaia, a
proibição da venda de óleos lubrificantes em hipermercados que não
tenham estações de serviço ou oleões para a sua recolha depois de
usados.
A Quercus salienta que a venda de óleos em grandes superfícies
que não têm serviços de recolha coloca os consumidores num dilema
sobre o que fazer ao óleo usado, que na maior parte das vezes acaba
por ser despejado na rede de esgotos.
A concessão de zonas de recolha, a criação de eco-taxas e a
realização de campanhas de sensibilização e fiscalização são as
propostas apresentadas pela organização para promover a regeneração
de óleos usados.

Mais: lusa.pt

Quercus ameaça com queixa

Quercus ameaça com queixa em Bruxelas por causa da gestão de óleos usados

A Quercus ameaçou hoje apresentar uma queixa na Comissão Europeia contra o Estado Português por incumprimento da directiva sobre a gestão de óleos usados, que estabelece a prioridade à sua regeneração sempre que possível.

Após o chumbo do projecto de reciclagem de óleos usados e solventes, na quinta-feira no parlamento, a Quercus exige que o Ministério do Ambiente apresente, até ao próximo dia 15 de Novembro, medidas concretas de incentivo à regeneração daqueles resíduos, excluindo completamente a sua co-incineração nas cimenteiras.

Caso contrário, a associação diz não ter outra alternativa que não seja a de apresentar em Bruxelas uma queixa contra o Estado Português.

A Quercus lembra, em comunicado, uma resolução do conselho de ministros de Julho deste ano em que o Governo defende que só deverão ser conduzidos para co-incineração os resíduos que não sejam passíveis
de redução, reutilização ou reciclagem.

Unidade de regeneração

Instituto de Resíduos estuda unidade de regeneração de óleos usados

O Instituto de Resíduos está a estudar a viabilidade da instalação em Portugal de uma unidade de regeneração de óleos usados e vai apresentar um plano de acção ainda este mês, disse hoje a presidente do instituto, Dulce Pássaro.

Segundo a responsável, está a ser elaborado um plano de acção para a gestão dos óleos usados, que inclui um estudo sobre a
viabilidade técnico-financeira da instalação de uma unidade de regeneração de óleos.

Dulce Pássaro disse ainda que a nova unidade, se viabilizada, ficará nas mãos de privados, uma vez que existem vários interessados no negócio.

Fonte: Lusa

MNI escreveu:
-------------------------------
3 Junho 2000

Empresa de tratamento de óleos quer apostar na regeneração

A empresa Auto-Vila, que em Leiria se dedica à preparação
de óleos usados para queima em fornos industriais, está apostada
na instalação da primeira unidade de regeneração de óleos em
Portugal.
A instalação desta unidade só será viável se o Governo
proibir a queima de óleos em fábricas - à semelhança do que já se
verifica noutros países da União Europeia -, passando a Auto-Vila
a dedicar-se apenas à regeneração, abandonando a sua principal
actividade actual.
Em Portugal, se esta legislação fosse aplicada, isso
implicaria a recuperação de 3 a 3,5 milhões de litros mensais de
óleos usados.

Mais: http://www.lusa.pt