Notícias

Notícias sobre violência doméstica:

Italianos e a mulher

italianos consideram a mulher humanamente superior

A maioria dos italianos considera que a mulher é humanamente superior ao homem e cresce a proporção dos que desejam ter ao seu
lado mulheres agressivas e duras em vez de meigas e românticas.
Segundo uma sondagem da revista mensal Maxim, 59 por cento dos 551 homens inquiridos declaram-se convencidos da superioridade humana das mulheres.
Na hora de escolher uma companheira, 42 por cento declaram apreciar que ela seja agressiva, enquanto 31 por cento confessam
preferir mulheres resolutas e competitivas.
Trinta e quatro por cento admitem perder a cabeça com
mulheres decididas e autoritárias, enquanto 28 por cento chegam a este ponto face a mulheres que desenvolvem uma carreira profissional ou são empresárias.
Apenas 19 por cento dos homens preferem mulheres simpáticas e com sentido de humor.

Mais: http://www.lusa.pt

Igualdade entre sexos difícil

31 de Maio

Igualdade entre os sexos continua difícil de conquistar, refere ONU

O assassínio de bebés do sexo feminino e o acesso deficiente
à alimentação e a medicamentos faz com que existam menos 60
milhões de mulheres no mundo do que seria de esperar segundo as
tendências demográficas.
Estes dados constam de um relatório da UNICEF, hoje
divulgado, que servirá de base a uma reunião da ONU na próxima
semana para averiguar o que fizeram os governos para conquistar a
igualdade entre os sexos, desde a conferência das Nações Unidas
sobre as mulheres em 1995.
O relatório refere vários exemplos de países onde os direitos
das mulheres continuam a ser violados, como a Nicarágua, onde 52 %
dizem ter sido vítimas de violência doméstica física, ou a Coreia,
onde o mesmo aconteceu a 38 por cento das mulheres.

Mais: http://www.lusa.pt

Mulheres em cargos públicos

2 de Junho

Mulheres na vida pública é sinónimo de menos corrupção

Um estudo do Banco Mundial revela que quanto maior é a influência da
mulher na
vida pública dos países em desenvolvimento, menor é a corrupção e mais
rápido o
crescimento económico.
O estudo, divulgado ontem, foi elaborado em 100 países, com o objectivo de
determinar a relação entre os sexos e o progresso económico nas nações em
desenvolvimento.
Um dos autores do trabalho, Andrew Mason, explicou que as sociedades crescem
mais rapidamente e de uma forma mais qualitativa se adoptarem medidas mais
específicas para reduzir as diferenças entre os sexos.

Mais: http://www.lusa.pt

Violência doméstica- UNICEF

2 de Junho

Violência doméstica continua a afectar mulheres e crianças em todo o mundo.

A violência doméstica continua a negar os direitos das
mulheres e crianças em todo o mundo, afectando a vida de uma em
cada duas mulheres nalguns países, os dados são revelados por um
estudo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).
Apesar do apelo para uma acção global para acabar com a
violência, feito há cinco anos na Conferência de Pequim sobre as
mulheres, a violência doméstica continua a atravessar culturas,
classes, níveis de educação, rendimentos, etnias e idades em todo
o mundo.
O estudo refere que até agora 44 países adoptaram
legislação específica sobre violência doméstica, dos quais 12
latino-americanos.

Mais: http://www.lusa.pt

Guerra ao assédio sexual

6 Junho 2000

União Europeia declara guerra ao assédio sexual no trabalho

A União Europeia vai declarar guerra aos autores de assédio
sexual no trabalho e prepara-se para reforçar as sanções contra
aqueles que forem considerados culpados desta prática.
Este é, pelo menos, o efeito esperado de uma proposta de
directiva elaborada pelo gabinete da comissária com a pasta do
Emprego e dos Assuntos Sociais, a grega Anna Diamantopoulou.
De acordo com a proposta, as vítimas que consigam provar o crime
perante as autoridades judiciais vão poder passar a exigir
indemnizações ou mudar de local de trabalho e a ver reduzidas as
possibilidades de serem dispensadas.

Mais: http://www.lusa.pt

Regou mulher com gasolina

9 Junho, 2000

Homem regou mulher com gasolina e deitou-lhe fogo

Um homem pegou ontem fogo à sua companheira, depois de a ter
regado com gasolina, na zona M do bairro de Chelas, em Lisboa.
Segundo o Comando Metropolitano da PSP, a vítima sofreu
queimaduras graves no corpo e na face, e encontra-se no serviço de
Cuidados Intensivos do hospital de São José.
As autoridades adiantaram ainda que o agressor se encontra
detido.

Mais: http://www.lusa.pt

Direitos da mulher na ONU

10 de Junho, 2000

Direitos da mulher reforçados na V Conferência da ONU

Os representantes dos 188 Estados-membros da ONU aprovaram
hoje de madrugada, em Nova Iorque, os 12 últimos pontos de um
documento que reforçará os direitos da mulher definidos pela IV
Conferência de Pequim, em 1995.
Segundo delegações europeias foram introduzidos avanços
que dizem respeito à educação, informação sexual ou violências
contra mulheres, entre outros, embora subsista um impasse
relativamente aos direitos sexuais das mulheres, como o aborto e
a homossexualidade. Os países opositores são essencialmente
católicos e muçulmanos.
Os delegados voltarão a reunir-se na sessão plenária de
encerramento para validarem definitivamente o documento, conhecido
por Pequim + 5, depois de traduzido nas seis línguas oficiais
das Nações Unidas.

Fonte: http://www.lusa.pt

Problemas na criança

Número de crianças com problemas psiquiátricos graves está a crescer

São cada vez mais e de maior gravidade os casos de problemas psiquiátricos infantis que reflectem a violência exercida sobre crianças, nomeadamente abusos sexuais, referiu a directora do Departamento de Pedopsiquiatria do Hospital de D. Estefânia, em Lisboa.

Maria José Gonçalves disse à agência Lusa que tem aumentado o recurso às urgências, tratando-se de casos de psicoses infantis e grandes estados de angústia que conduzem geralmente à ruptura do sentido da realidade e ainda a tentativas de suicídio.

A violência exercida a nível doméstico, na qual se incluem os abusos sexuais, e também a alteração do tecido familiar, devido a compromissos profissionais dos pais, por exemplo, são apontadas
como as grandes responsáveis pelo aumento dos casos e da sua gravidade.

Ao departamento é pedido ainda que emita pareceres em casos de regulação do poder paternal, considerada outra das causas que tem contribuído para o aumento de casos que levam as crianças a precisar dos serviços.

Fonte: lusa.pt

Mulheres desfilam

Mulheres desfilam em Lisboa contra pobreza e violência no Mundo

Milhares de portuguesas vão participar amanhã, em Lisboa, numa marcha contra a pobreza e a violência.

A marcha nacional, integrada na Marcha Mundial das Mulheres do Ano 2000 Contra a Pobreza e a Violência sobre as Mulheres, quer
também exigir uma política global no trabalho em Portugal.

A iniciativa, que prevê ainda a realização de uma marcha europeia no próximo dia 14, em Bruxelas, vai terminar com um desfile em Nova Iorque no dia 17, quando for entregue ao
secretário geral da ONU um abaixo-assinado com milhões de assinaturas recolhidas em todo o mundo.

Fonte: LUSA

Relatório Violência Doméstica divulgado hoje

6 de Abril, 2001

O país fica hoje a saber com quantos crimes se faz a violência doméstica em Portugal, graças à divulgação dos números negros relativos à agressão familiar em 2000.

O relatório Violência Doméstica vai ser divulgado no Porto, numa cerimónia presidida pelo ministro da Administração Interna, Nuno Severiano Teixeira.

Apesar do relatório Violência Doméstica estar ainda no segredo dos deuses, os indícios disponíveis permitem apontar para um aumento dos crimes familiares.

Fonte: Lusa