Lixo biológico

4 Junho, 2000

Hospital britânico acusado de deitar no lixo órgãos de bebés

O ministro britânico da Saúde, Alan Milburn, ordenou a abertura
de um inquérito a um hospital acusado de deitar no caixote de lixo
órgãos de bebés e adultos mortos, um escândalo revelado hoje pelo
jornal The News of The World.
A denúncia partiu dos funcionários do Hospital King's Mill
Centre, em Ashfield, que dizem ter recebido ordens para deitar nos
sacos do lixo fetos, cérebros e corações de bebés mortos, bem como
outros órgãos.
Segundo os funcionários, estas ordens foram recebidas dias
depois do Colégio Real e Patologistas ter pedido aos hospitais que
verificassem nos seus registos se tinham sido conservados, sem o
consentimento dos pais, órgãos de bebés.
Estas recomendações das autoridades surgiram depois de outro
escândalo, em que diversos pais descobriram terem sido retirados
órgãos aos seus filhos sem o seu consentimento ou mesmo depois da sua
recusa.

Mais: www.lusa.pt

Resíduos hospitalares

13 Junho, 2000

Unidade de resíduos hospitalares poderá instalar-se em Estarreja

A instalação de uma unidade de tratamento de resíduos hospitalares perigosos
é admitida pela Comissão de Acompanhamento da Estação de Transferência de
Estarreja (CAETE), afirmou Matos Almeida, membro da comissão.
Em declarações hoje à Lusa, Matos Almeida adiantou que a CAETE impôs como
condição o acompanhamento do processo, desde a escolha do local para a
unidade, pretendida pela AMBIMED, até à fiscalização da sua construção.
A AMBIMED, empresa de gestão do lixo hospitalar, que já tem uma estação de
armazenamento em Estarreja, apresentou sexta-feira a proposta à comissão,
para instalar uma unidade de tratamento.
Uma delegação da CAETE deverá deslocar-se, em Julho, a Espanha para visitar
unidades de tratamento de resíduos hospitalares perigosos, idênticas à que a
AMBIMED pretende construir em Estarreja.

Fonte: wwww.lusa.pt

Incineradores hospitalares

4 de Agosto, 2000

Nuno Cardoso apoiaria fecho de incineradoras
hospitalares no Porto

O presidente da Câmara do Porto, Nuno Cardoso,
afirmou ontem que o encerramento das incineradoras dos hospitais da cidade Invicta seria uma medida acertada.

As declarações do autarca surgem na sequência da divulgação de um estudo que aponta altos índices de dioxinas na cidade.

Cardoso aproveitou para referir que não é nada alarmante, acrescentando que o Governo e as autarquias estão empenhados na resolução deste problema, que deve ser tratado sem demagogias.

Para solucionar o problema, o autarca defende o fim das fontes poluentes, como é também o caso da refinaria de Matosinhos.

Fonte: lusa.pt