Gases tóxicos

16 de Junho de 2000

Nuvem de gás tóxico ameaça 300 mil habitantes na Rússia

Cerca de 300 mil habitantes da cidade de Nakhodka, no
extremo oriente russo, estão ameaçados por uma nuvem de gás
altamente tóxico em consequência de um acidente que provocou uma
fuga de combustível num míssil intercontinental.
Quatro marinheiros foram hospitalizados de urgência com
uma intoxicação depois de uma manobra em que danificaram um míssil
balístico RSM-50 que libertou uma centena de litros de
combustível, de acordo com as fontes do Estado Maior da Marinha
russa do Pacífico.
Ao contacto com o ar, formou-se uma nuvem amarela de
tetraóxido de azoto, produto que ataca essencialmente a pele e os
pulmões.

Fonte: lusa.pt

Portugal é mau exemplo

Portugal é mau exemplo no controle de emissão de gases para a atmosfera

O aumento das emissões de dióxido de carbono e a perspectiva de não cumprir os compromissos do Protocolo de Quioto são a bagagem que Portugal leva para a conferência sobre as alterações climáticas, que a partir de segunda-feira se realiza em Haia.

As projecções apontam para um aumento desmesurado das emissões dos principais gases com efeito estufa, em especial do dióxido de carbono, e contra isto, pouco ou nada foi feito, apesar das intenções.

Os compromissos assumidos em 1997 na cidade japonesa permitiram um aumento das emissões de seis gases (com maiores consequências para o efeito estufa) de 27% em relação aos valores de 1990, bem como um aumento de 40% do dióxido de carbono.

Um levantamento exaustivo efectuado por uma equipa da Universidade Nova de Lisboa indicou que o país pode chegar a 2010 com um aumento de 49% na emissão dos gases com maiores consequências no efeito de estufa (em vez dos 27%), ao mesmo tempo que o dióxido de carbono pode atingir os 62%.

Fonte: LUSA