Enbrel, AR e CBP (Cirrose Biliar Primária)

Fui diagnosticada portadora de AR há cerca de 1 ano. Existe um agravante no meu quadro clínico: também tenho CBP, confirmada por meio de biópsia realizada em 2008. O fato de todos os medicamentos utilizados por reumatologistas serem hepatotóxicos dificultou e muito o meu tratamento. Não querendo ser "escravizada" pelo uso (paliativo) de corticóides para aliviar os dolorosos efeitos da AR, tentei por 09 meses tratamentos alternativos. Todos ineficazes. Quando já não suportava mais as dores, inclusive com comprometimento das articulações dos dedos da mão direita, procurei uma reumatologista. Sorte minha que essa jovem médica viu no meu caso um desafio, e passou a pesquisar outros relatos de casos semelhantes ao meu: a sobreposição de 02 doenças autoimunes e com características tão peculiares. Para surpresa nossa, ela não descobriu (ainda) nenhum relato semelhante no Brasil. Pesquisou acerca de 01 caso no Japão e 02 outros na Europa, e em todos, o tratamento adotado foi o Etanercept. Estou na quinta aplicação e tive melhoria nos sintomas da AR. Apesar de alguns sintomas desagradáveis relacionados ao local da injeção (coceira, edema, vermelhidão), estou confiante no tratamento. Como a CBP, no meu caso, é praticamento assintomática, apenas com exame de sangue é que poderemos saber o quanto o Etanercept está sendo efetivo para controlar minhas funções hepáticas. Estamos aguardando o resultado de um exame feito recentemente...
Gostaria de trocar ideias com pessoas que fazem uso do Enbrel, ou com médicos que conheçam casos como o meu.