eczema atopico

Soube que recentemente houve um congresso no Porto relativo ao eczema atopico.
Gostaria de saber se houve novos avanços no tratamento desta doença.
Tenho um filho com 18 meses que sofre de eczema atópico desde os 6 meses de idade, revelou alergia ao leite de vaca.
Até esta data não conseguimos tipificar outro tipo de alergias, apesar de termos cortado o leite da sua dieta continua a revelar irritações cutaneas especialmente nas dobras das pernas e braços e no pescoço.
Gostaria de saber o que fazer para minimizar estas situações, qual o panorama geral sobre esta doença e quais os locais indicados para fazer testes sobre alergias alimentares.
É correcta a informação de que geralmente estes sintomas desaparecem com o decorrer da idade?

Parabens pelo vosso trabalho e espero que estas informações sejam uteis para outras familias que se debatem com este problema.

RE: eczema atopico

Caro João,

A Dermatite Atópica é situação particularmente prevalente em todo o Mundo já que atinge cerca de 10% da População Pediátrica.
Trata-se de situação caracterizada por um determinado padrão clínico - eczema húmido, exsudativo nos lactentes e, mais seco, crostoso e liquenificado a partir dos 2-3 A de idade.As localizações das lesões na superfície cutânea também evoluem consoante a idade, desde localizações preferenciais na face e couro cabeludo nas idades mais jovens, até as pregas de flexão dos cotovelos , dos joelhos, punhos e região da nuca em idades amis avançadas. O que é comum a estas diversas apresentações clínicas é o PRURIDO
tenaz, muito intenso que determina desejo incontrolàvel de coçar, esfregar, mesmo excoriar!
Em termos da evolução natural da doença, deverá saber que muitos indivíduos melhoram antes de completarem 2 anos de idade. Casos existem em que a melhoria, também espontânea, ocorre com a puberdade, sobrando uma pequena população de doentes que manifestam sintomas graves na idade adulta.
Quanto às causas desta doença, convém saber que, apesar de afectar indivíduos com antecedentes familiares de doenças alérgicas como a febre dos fenos, a rinite alérgica ou asma brônquica, a DERMITE ATÓPICA em regra não se associa a mecanismos de hipersensibilidade reagínica específica contra alergenos específicos respiratórios ou alimentares, tal como ocorre nas doenças referidas e que estão ao alcance de testes de picada prick tests geralmente conduzidos por colegas da Especialidade de Imunoalergologia. Com efeito, acredita-se que em apenas 10% dos casos existem alergias alimentares, particularmente em lactentes e que, na maior parte destes casos a ELIMINAÇÃO
DOS ALERGENOS DIETÉTICOS NÃO SE ACOMPANHA DE MELHORIA SUSTENTADA DO QUADRO CLÍNICO! O mesmo se aplica aos chamados AEROALERGENOS
-alergenos respiratórios onde se encontram os pervasivos ácaros domésticos!Acresce que, quando correctamente identificado um alergeno
,verificada a sua relevância, a utilização de vacinas específicas de desensibilização normalmente acarreta agravamento do quadro clínico.
Posto isto, cumpre afirmar qua a Dermite Atópica tem uma origem multifactorial em que alterações farmacológicas da vasculatura da pele, um baixo limiar de irritação a químicos
exógenos (lã, componentes de formulações cosméticas...), à fricção (roupas apertadas e mal ajustadas...) ao próprio suor (retençaõ de suor -sudamina-) e uma deficiente função barreira da epiderme - traduzida em pele seca e áspera- com repercussões até na bacteriostase e luta contra infecções bacterianas, contribuem para a expressão fenotípica da afecção.
É importante consultar o seu Dermatologista com o objectivo de obter conselhos detalhados sobre os cuidados diários dermatológicos, com ênfase para os banhos - coloidais ou minerais ,de preferência-, lubrificação e hidratação cutânea sistemática,para a evicção de factores potencialmente irritantes contidos em cremes, leites corporais,para o vestuário, sua composição e ajustamento à pele, para o ambiente doméstico e escolar, no sentido de evitar calor excessivo e sudação acentuada e mudanças bruscas de temperatura...
Existe um grande número de opções disponíveis para o controlo desta afecção, existem fármacos de actividade imunomoduladora que em breve entrarão no nosso país. A optimização das condições de vida, com ênfase para o que foi afirmado e em que a esfera emocional - da criança e dos pais - não pode ser descurada continua a ser -em todos os casos- o que de melhor se pode oferecer, de molde a garantir um efectivo controlo da doença e uma real qualidade de vida aos que dela padecem.

Um abraço e
Votos de Melhoras para o bebé

Rui Tavares-Bello
Dermatologista

RE: eczema atopico

Oi !
Meu nome eh Irene e eu, como o seu filho, sofri de dermatite atopica quando crianca, com uma recidiva terrivel aos 21 anos. Gracas a Deus estou curada, mas entendo como eh importante dividir estas experiencias com as pessoas.
Primeiramente, o senhor deve pensar que o leite de vaca pode ser um fator. Eu nao sou medica, mas convivi com a doenca durante alguns anos quando cursava a UERJ (Direito) e era remadora do Vasco da Gama, o que causou inumeros problemas de adaptacao. Hoje em dia, estou otima.
Eu tive o mesmo tipo de alergia de seu filho, nas dobras das pernas. Quando crianca usava uma medicacao denominada Diprosone e um sabonete chamado Oilatum, da Stiefell. O remedio, deve estar ultrapassado. Hoje voce pode comprar HIDROCORTISONA a 1% ou 10%, de acordo com a necessidade. Os medicos geralmente recomendam usar nao mais de 3 vezes por dia. E comecar com uma dose mais forte e ir diminuindo. Quando o caso eh severo, como foi o meu aos 21 anos, eu tive que tomar antibioticos. Eu tomei um antibiotico no Brasil que nao adiantou nada. Consegui um antibiotico americano que eh prescrito para doencas de pele, e foi a partir dai que eu vi uma melhora sensivel, sem contar que hoje em dia eu vivo em um clima mais frio, nao suo tanto.
Tomar varios banhos sempre foi uma boa solucao para mim, mas depende do tipo de sabonete que voce vai usar. Tem uma lama canadense que eu usei, que acho que acalma a pele. EU posso procurar saber o nome, eu sei que eu usei na Australia e depois comprei pela internet. Tem este produto tambem da Nova Zelandia que eh otimo. Feito com ervas naturais, e pode ser uma alternativa a remedios com cortisona (principalmente quando a cortisona nao esta adiantando nada).
Chama-se Skin Soothe Lotion 528 (Marlcom Harker MHD). Eh uma locao a base de algas. Se voce quiser ajuda em localizar estes medicamentos, fico a disposicao. Eu gostaria de ajudar as pessoas com esta condicao, porque eu sei como eh penoso e doloroso para a pessoa e a familia. Por favor me avise se eu posso ser de mais ajudar.
Irene

RE: RE: eczema atopico

Exma. Srª.
Obrigada pelas suas palavras. O meu filho tem bastante e so com 12 anos. Fico sempre a protege-lo dos olhares das pessoas. Hoje em dia o tratamento que faz é daivonex e daivobert (um é um corticosteroide o outro não), mas a pele continua às cores. Falam-me de fototerapia, dos peixes da turquia... enfim do mar morto e eu náo sei o que fazer...na praia fica igual, será que lhe faria bem esse produto de algas? E essse antibiotico? Ajude-me obrigada
Isabel Esteves

RE: eczema atopico

Olá João

Acabei de ler o seu depoimento, e como também eu tenho um filho que sofre das mesmas doenças que o seu, achei que poderia as partilhar consigo, o meu filho tem agora 13 anos e apenas com dias de vida foi-lhe diagnosticado a intolerância à proteina do leite de vaca e eczema atópico, tem sido uma batalha muito dificil de vencer, o eczema do meu filho vem vindo a agravar-se, não quero com isto dizer que o do seu tb se agravará, mas a cabeça do meu filho basta ele se enervar um pouco, por exemplo com um teste na escola que a cabeça dele fica uma chaga pegada e até chega a sangrar nas orelhas, este ano em desespero e com bastante sacrificio fez tratamentos nas termas de monfortinho, resultou bastante enquanto lá esteve, depois voltou ao mesmo, avisaram-me que pelo menos deverá fazer tratamentos nas termas durante 3 anos seguidos para ver os resultados totais.
Apenas queria deixar aqui o meu depoimento e desejar a todos as melhoras.
Cristina Maria

RE: RE: eczema atopico

Olá
A minha filha tem hoje 6 meses de idade, e desde os primeiros dias de vida, que se começou a notar uma desidratação da pele muito forte, para além da seborreia na cabeça ser uma carapaça de tartaruga.Iniciei a hidratação com Mustela, depois passou para BabyGella, e nada!
Foi diagnosticado Dermatite Atopica / Eczema Atópico. Usa todos os dias Fucicort nas lesões 30m antes do banho, (lesões que já foram praticamente todo o corpo) Creme Hidratante D´Aveia e Creme Barreira D´Aveia, Champô Suave D´Aveia e Vaselina na cabeça 30m também antes do banho, para além deste tratamento toma 0.1mg de Ciclosporina todos os dias (neste momento 15 dias).
As roupas TODAS já são 100% algodão biológico, bem como tudo anti-ácaros e mosquiteiro.
É desesperante, pois não há melhoras.
O pescoço, é terrível, chega a gretar e faz uma comichão que é impossivel dormir 2 horas em paz.
Vou experimentar essa lama, pois acabei de encomendar, desde já agradeço a sua mensagem.
Falaram no Egipto, mar vermelho, homeopatas, problemas de fígado, não sei, faço tudo para que a minha filha fique bem, mas acreditem não há muito mais a fazer a não ser esperar que acalme a situação, contudo sou uma Mãe que transmito sempre paz, serenidade e calma, e ainda, mesmo com 6 meses lhe digo, que a pele dela é muito hidratada porque ela é uma Cleopatra!
Mantenham a calma, eu sei que é muito angustiante, porque é assim que me sinto, mas tentem não transmitir isso aos v/ filhos porque quanto mais irritados e tristes ficarem pior ficam!
Se tiverem mais dicas para me darem por favor não exitem e perguntem o que quiserem no sentido de eu vos poder também ajudar.