Bem-vindo

Bem-vindo ao forum.

Na revista da MNI

Encontra-se na Revista da MNI, o artigo Depressão: nem oito, nem oitenta, pelo Dr. Rui Sousa, psiquiatra.

Depressão

Exº srº drº
Eu sofri duas percas 1º a morte da minha mãe aos 17 anos e aos 30 abandono da parte do meu marido(divorcio) e tenho sido seguida por um psicologo do local onde me encontro a trabalhar,sou ed.inf. ,mas está me a custar muito superar a situação.Agora e por quest
ões profissionais fui colocada num local muito isolado,preciso da sua ajuda para me ajudar a elaborar um relatório para assim pedir destacamento para vila real.O meu psicologo disse-me para elaborar o mesmo mas eu não sei ostermos tecnicos,pois eu tenho mesmo que ir para vila real para enfrentar o problema , mas só com um bom atestado médico a provar a minha depressão ou problemas neurológicos,será que alguém me pode ajudar?
por favor?

RE: Depressão

cara manuela:

obrigada por nos procurar e as nossas desculpas por só agora dar-mos uma resposta, mas na realidade este não é o local correcto para fazer este tipo de pedidos. Os GADIS (grupos de apoio e discussão)são fóruns sobre vários assuntos, onde as pessoas podem partilhar experiências vividas, dar opiniões pessoais e ajudar outros com problemas parecidos. No seu caso parece-me que deve procurar um psiquiatra para esclarecer a sua situação e ajudá-la no relatório que precisa.
Boa sorte.

RE: Depressão

Desde já gostaria de saudar todos os médicos que colaboram nesta iniciativa.
Tenho 24 anos e aos 21 sofri uma depressão nervosa que até hoje me persegue.Estou extremamente susceptivél a ruídos e a situações desagradáveis do dia-a-dia. Sou estudante universitária e por isso necessito de partilhar casa com outras pessoas que por sinal não são aquelas que melhor noção têm de respeito. Não sei mais o que fazer... nem tão pouco sei qual o melhor caminho para me tentar abstraír dos problemas diários. Queria pedir-lhes um conselhor, uma ajuda.

Com os melhores cumprimentos e um muito obrigada,

Anabela L.G.

RE: Depressão

cara anabela:
concerteza o conselho que lhe vou dar já lhe foi dado por outros, que é o de procurar ajuda de um psiquiatra. Quero contudo deixar-lhe a ideia de que a maneira de ser das pessoas é diferente e nem todos encaramos e enfrentamos os problemas de forma semelhante. Uns são mais sensíveis, outros mais frios, uns mais espontâneos outros mais calmos, enfim temos todos formas diferentes de estar perante situações semelhantes.
Muitas vezes a própria vida não ajuda a que se consiga ultrapassar com facilidade as barreiras que vão surgindo, mas na minha opinião é que há sempre quem esteja muito pior... Tente ver o lado positivo.

RE: Depressão

De acordo com um trabalho publicado na edição de Outubro do American Academy of Child and Adolescent Psychiatry quase 16% das crianças e adolescentes com depressão não apresentam os sintomas clássicos. Sabe-se que alguns adultos apresentam depressão atípica, mas este é o primeiro estudo a abordar este problema nas crianças. O aumento súbito do apetite, aumento de peso, sono excessivo e maior sensibilidade aos comentários dos outros podem ser alguns dos sinais precoces de depressão.

RE: Depressão

Exº Srº Drº,

Obrigada pela sua atenção e aconselhamento. De facto existem pessoas em pior situação que a minha, com doenças terminais e situações afins, no entanto pensar que havia sempre alguém em pior situação do que a minha foi o que eu sempre fiz, só que isto tomou porporções extremamente dificéis. Sinto muitas vezes falta de ar, frios e calores, corpo dormente, o chamado formigueiro, e tonturas. Por vezes não tenho a certeza se será apenas depressão mas também tenho bastante medo de descobrir se é mais alguma coisa. Eu sou uma pessoa com muita força de vontade e acho que foi por isso que ainda n me fui completamente abaixo. O estado físico é aquele que mais me preocupa, este cansaço, todos os sintomas que já referi. Quanto a consultar um psiquiatra...sim, já me foi aconselhado, no entanto também sei que não passa só por aí, no fundo o problema de tudo isto, de todas as depressões, é desta sociedade fria e calculista que infelizmente ataca apenas as pessoas mais sensivéis. Gostaria no entanto de perguntar se realmente todos estes sintomas que referi são mesmo e essencialmente de depressão.

Com os melhores cumprimentos,

Anabela L. G.

RE: Depressão

Fui eu que lancei o pedido de ajuda obrigada por me responderem mas cada vez estou pior desde dia 20 de 102000 isto piorou pois tirei a mascara. o que sinto um vacuo existencial,vazio completo desisto de viver assim estou muito só e detesto não quero viver como a maioria das pessoas contentes com o dia dia e na esperança de que o amanha será melhor . eu quero viver intensamente não assim. tenho muitos amigos e cada vez me sinto mais só- não sei viver sózinha e sem alguem com quem partilhar eu não nasci para estar só quero ter muitos filhos bem só 3. Não é esta vida que eu quero para mim nã me contento com ...esta vida de merda eu quero viver a cada instante não assim como máquinas desisto obrigada e beijinhos por favor ajudem-me a por a mascara todos os dias assim será mais fácila contenar-me com pouco. a vida é a maior droaga e eu sou dependente dela quando bem vivida assim sou intoxicada por ela ...

RE: Depressão

Cara Manuela,

Recomendo-a vivamente a procurar a ajuda de Psiquiatra. Se tem dificuldade em contactar um rapidamente, por favor, dirija-se ao seu médico assistente ou ao seu médico de família e peça-lhe ajuda.

Muito obrigado pela sua participação nos GADIS.

Um abraço,

Doutor M. Jorge Guimarães

RE: Depressão

Cara Anabela,

Parece-me que está muito cansada e a precisar de conversar com um psiquiatra.

Não tenha medo de descobrir seja o que for. O melhor é atacar os problemas para os resolver e o seu problema é muito provavelmente do foro da psiquiatria.

Uma visita a um psiquiatra, ou primeiro ao seu médico de família ou médico assistente, poder-lhe-á ser muito benéfica.

Verá que se sentirá muito melhor depois de procurar ajuda médica. Está na altura de se ajudar a si própria deixando que um(a) médico(a) a ajude.

Um abraço,

Doutor M. Jorge Guimarães

Página 1 de 2