Ansiedaded relacionada com arteriosclerose

7 de Fevereiro de 2001

Um estudo recente, publicado na edição de Janeiro da revista Asteriosclerosis, Thrombosis and Vascular Biology, sugere que um estado de ansiedade pode causar o espessamento das artérias carótidas (as artérias largas do pescoço) e acelerar o desenvolvimento de arteriosclerose nestes vasos.

A asteriosclerose caracteriza-se pela deposição de gordura nas paredes interiores das artérias.

Um grupo de investigadores franceses acompanhou 700 homens e mulheres com 59 a 71 anos de idade durante 4 anos. Para averiguar o nível de ansiedade dos doentes foi-lhes feito um questionário. A asteriosclerose e o espessamento das paredes das carótidas foi seguido por meio de ultrasons.

Vários parâmetros foram analisados ao longo do tempo: o nível de ansiedade, o estado das artérias, a presença de doenças coronais no coração, ser ou não fumador, consumir ou não álcool, a pressão sanguínea e a medicação que cada doente estava a tomar.

Os resultados mostram que, homens com ansiedade elevada e continuada apresentavam um maior desenvolvimento da arteriosclerose assim como um espessamento das artérias enquanto que mulheres ansiosas apresentaram somente um espessamento das artérias. Os cientistas não encontram nenhuma explicação clara para a diferença na relação entre ansiedade e arteriosclerose entre homens e mulheres.

Era já sabido que a raiva e hostilidade eram factores de risco nas doenças do coração e em ataques cardíacos. Este novo estudo vem identificar mais um factor de risco que pode e deve ser controlado pelo doente.

Fonte: Reuters Health

RE: Ansiedaded relacionada com arteriosclerose

a notícia tem algumas imprecisães........
aqui, nos comentários tem vários erros

sandra coelho

RE: Ansiedaded relacionada com arteriosclerose

Cara Sandra,

Obrigado por estar atenta e participar nos nossos GADIS.

Realmente vejo um erro no título (ansiedaded em vez de ansiedade) que depois de feito não pude corrigir.

Quanto a erros, nos comentários, não vi. A notícia é a mesma dos destaques e foi obtida da Reuters Health, penso que de forma coerente.

Espero que continue a participar e a dar-nos a sua opinião.

Atentamente,

Helder