Sono insuficiente associado a obesidade e hábitos pouco saudáveis em crianças

Estudo publicado na revista “Journal of Clinical Sleep Medicine”

16 novembro 2018
  |  Partilhar:
As crianças e adolescentes que não dormem as horas de sono necessárias poderão levar um estilo de vida pouco saudável, apontou um novo estudo.
 
O estudo que foi conduzido por Labros Sidossis, do Departamento de Cinesiologia e Saúde da Universidade Rutgers, EUA, e colegas, contou com a participação de 117.091 crianças e adolescentes gregos, com oito a 17 anos de idade.
 
A equipa recolheu dados sobre os pequenos participantes de inquéritos de saúde que tinham sido preenchidos na escola. Os inquéritos incluíam informação sobre o horário de sono habitual durante a semana e fim-de-semana, atividade física praticada, atividades sedentárias e alimentação das crianças. 
 
Considerou-se como padrões ótimos de sono, as recomendações da Academia Americana de Medicina: nove a 12 horas diárias para as crianças de seis a 12 anos de idade e oito a 10 horas para os adolescentes de 13 a 18 anos de idade. 
 
Os participantes que dormiam menos do que as horas indicadas foram considerados como não dormindo o suficiente.
 
Labros Sidossis relatou que “aproximadamente 40 por cento das crianças em idade escolar no estudo dormiam menos do que o recomendado”.
 
Os investigadores associaram a duração insuficiente do sono a hábitos alimentares pouco saudáveis, como não tomar o pequeno-almoço, consumir “fast-food” e doces regularmente, assim como a mais tempo passado em frente a ecrãs e a excesso de peso e obesidade. 
 
Foi ainda apurado que os participantes que não dormiam as horas suficientes de sono eram mais sedentários e apresentavam pior forma aeróbica do que os que dormiam as horas suficientes. 
 
“O achado mais surpreendente foi que a forma aeróbica foi associada aos hábitos de sono”, comentou Labros Sidossis. “Podemos especular que o sono adequado resulta em maiores níveis de energia durante o dia. Assim, as crianças que dormem bem são talvez fisicamente mais ativas durante o dia e, portanto, têm uma maior capacidade aeróbica”, disse.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário