Teste deteta pacientes com pneumonia em risco de sépsis ou insuficiência respiratória

Apresentação no Congresso Internacional da Sociedade Europeia Respiratória

08 outubro 2019
  |  Partilhar:
Francisco Sanz, professor na Universidade de Valência, Espanha, e equipa, descobriram biomarcadores que ajudarão os médicos a anteciparem quais os pacientes com pneumonia mais propensos a desenvolver complicações.
 
Sanz, pneumologista no hospital de universitário de Valência, e equipa, analisaram dados de 169 pacientes com pneumonia adquirida fora do hospital. As complicações mais frequentes são a sépsis e a insuficiência respiratória.
 
Foi observado que para cada uma das complicações, sépsis ou insuficiência respiratória, existe uma molécula microARN específica associada. As moléculas microARN regulam o comportamento dos genes.
 
Foram tiradas amostras de sangue aos pacientes aquando da sua entrada no hospital e, através da reação em cadeia da polimerase em tempo real, identificaram-se as microARN existentes e a sua correlação com a sépsis e a insuficiência respiratória, de modo a perceber quais microARN seriam preditivaos destas complicações.
 
Foram encontradas três microARN com bom potencial preditivo. A microARN 223 teve uma precisão de 78% em prever o desenvolvimento de sépsis; a microARN 574 ajudou a prever 77% dos casos de insuficiência respiratória.
 
Com a microARN 182 previram-se ambas as complicações com 83% de eficácia para sépsis e 76% para a insuficiência respiratória.
 
Este estudo teve por base pacientes entre os 58 e 79 anos, pelo que não se aplica a crianças.
 
Sanz afirma que o potencial do uso destes biomarcadores prende-se com a oportunidade de prever e prevenir complicações, aumentando o sucesso dos tratamentos e salvando vidas. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário