Região Centro regista a segunda maior taxa de novos casos de VIH

Considerações da presidente de "A Comunidade Contra a Sida"

14 maio 2019
  |  Partilhar:
O Centro é a segunda região de Portugal com maior incidência de novos casos de infeção por VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana), a seguir à área metropolitana de Lisboa, com 8,6 casos por 100 mil habitantes, revelou a agência Lusa.
 
Segundo Filomena Frazão de Aguiar, presidente da Fundação Portuguesa "A Comunidade Contra a Sida", o Centro "é a região com maior proporção de diagnósticos tardios de infeção, com 60,8% dos casos diagnosticados evidenciando já degradação imunológica".
 
"É a terceira região do país com mais casos de diagnóstico de SIDA, correspondente a estádios avançados da infeção por VIH", sublinhou à agência Lusa a psicóloga clínica, especialista em aconselhamento VIH e SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida).
 
De acordo com os dados revelados, em 2017 a região Centro registou 192 novos casos, o que corresponde a 18% do total de novos casos nacionais, dos quais 42 resultaram em SIDA.
 
A prevalência de infeção pelo VIH na região atinge 6.044 pessoas (10,4% dos casos nacionais), sendo que os doentes com SIDA são 399 (1,8% dos casos nacionais).
 
"São números preocupantes e, mais do que nunca, continuo sempre a reiterar que instituições que têm o dever de apoiar estas organizações deviam estar lado a lado a colaborar e a trabalhar connosco na luta contra a SIDA. E não estão, de maneira alguma", salientou Filomena Frazão de Aguiar.
 
Segundo a presidente da Fundação Portuguesa "A Comunidade Contra a Sida", faltam projetos e informação ao nível da prevenção, situação que, "muito em breve, vai levar a um aumento significativo de casos de infeção".
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário