Os suplementos de vitamina D e ómega 3 protegem mesmo do cancro e doenças cardíacas?

Estudo publicado na revista “New England Journal of Medicine”

20 novembro 2018
  |  Partilhar:
Dois ensaios clínicos sugerem que os suplementos de vitamina D e de ómega-3 não apresentam benefícios concretos contra doenças crónicas como o cancro e doenças cardíacas.
 
Conduzidos por uma equipa de investigadores liderada por JoAnn E. Manson, diretora de Medicina Preventiva no Hospital Brigham and Women, em Boston, EUA, os ensaios tiveram como objetivo analisar o efeito da toma diária de vitamina D e de óleo de peixe com ómega-3 sobre a prevenção de doenças cardíacas e cancro.
 
Para os ensaios, os investigadores contaram com 25.871 participantes, 5.106 dos quais eram americanos-africanos. As mulheres tinham pelo menos 55 anos de idade e os homens 50 anos.
 
Os investigadores ofereceram a um grupo de participantes uma dose diária de 2.000 UI de vitamina D e um grama de óleo de peixe, outro grupo recebeu 2.000 UI de vitamina D mais um placebo e um terceiro grupo recebeu dois placebos. Os participantes foram seguidos durante cinco anos. 
 
De forma geral, no fim do período de acompanhamento não foram observados benefícios. A equipa concluiu que “a suplementação com ácidos gordos [ómega-3] não resultou numa menor incidência de eventos cardiovasculares graves ou cancro do que com o placebo”.
 
No segundo ensaio, os investigadores depreenderam que a suplementação com vitamina D não conduziu a uma menor incidência de cancro invasivo ou de eventos cardiovasculares do que o placebo. 
 
A equipa identificou uma ligação entre o óleo de peixe e um menor risco de ataque cardíaco, particularmente nos participantes que não consumiam peixe com regularidade, assim como nos americanos de origem africana. 
 
No seu todo, os suplementos com óleo de peixe reduziram em cerca de 28% o risco de ataque cardíaco, e nos americanos-africanos em 77%, em relação aos participantes que tinham tomado um placebo.
 
Num editorial publicado na New England Journal of Medicine sobre os ensaios foi recomendada cautela na interpretação destes achados; os resultados de outros estudos de grandes dimensões com ácidos gordos ómega-3 não coincidiram com os presentes.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário