Espasmos pulmonares: nova descoberta sobre a causa

Estudo publicado na revista “Nature Biomedical Engineering”

09 setembro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores do Instituto de Ciência e Medicina da Universidade de Rutgers, EUA, descobriram como ocorre a contração muscular (broncoespasmo), causando dificuldade respiratória.
 
O broncoespasmo pode acontecer quer em pessoas saudáveis, quer em pessoas com problemas respiratórios como a asma ou doença pulmonar obstrutiva crónica. 
 
Em pessoas asmáticas, os músculos lisos são mais reativos e contraem mais facilmente em resposta a estímulos de alérgenos, levando a espasmos mais prolongados e falta de ar.
 
A equipa de investigadores debruçou-se sobre a repentina contração do músculo liso que rodeia as vias brônquicas, visto saber-se pouco sobre este mecanismo derivado ao facto de o sistema respiratório humano não poder ser representado em animais. 
 
Para estudar os sinais mecânicos e bioquímicos entre as células durante os espasmos, a equipa criou um microaparelho 1.000 vezes  o tamanho de um cabelo humano, retratando um brônquio, contendo células de pulmões saudáveis e com asma, que imita a função pulmonar ao nível celular individual.
 
Quando despoletaram o broncoespasmo no microaparelho, os cientistas descobriram que a contração origina uma secreção de compostos semelhantes a hormonas que tanto podem induzir uma contração adicional ou um relaxamento.
 
Foi ainda observado que induzir um segundo estímulo alérgeno asmático durante o broncoespasmo num determinado momento faz com que o músculo liso relaxe e acabe com o espasmo.
 
Este estudo abre portas a novas formas de compreender a asma e outras doenças e de obter outros tratamentos para doentes que não respondem aos medicamentos atuais.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário