Efetuado tratamento cardíaco através da pele

Procedimento conduzido no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra

22 novembro 2018
  |  Partilhar:
O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) anunciou ter feito, pela primeira vez na região centro, um tratamento percutâneo (através da pele) de correção de insuficiência de uma válvula do coração.
 
Segundo apurou a agência Lusa, um comunicado do CHUC refere que a Unidade de Intervenção Cardiovascular (Unic) do serviço de Cardiologia efetuou “a correção da insuficiência valvular mitral severa em dois doentes que não eram candidatos cirúrgicos, utilizando para o efeito uma implantação não cirúrgica de um novo dispositivo”.
 
Denominado MitraClip, o dispositivo é “uma pequena prótese cardíaca, introduzida através de uma picada na pele, que prende os folhetos da válvula mitral, reduzindo assim de forma significativa a insuficiência valvular”.
 
Um estudo recentemente publicado refere que o procedimento em doentes selecionados com insuficiência cardíaca, representa, após 24 meses, uma redução de 47% do número de hospitalizações e de 38% da mortalidade.
 
O estudo em causa, citado pelo CHUC, incluiu 614 doentes (302 pacientes com MitraClip e 314 com o melhor tratamento médico farmacológico atualmente disponível), acrescenta.
 
A Unic é um “centro de treino nacional e internacional em intervenções cardíacas estruturais e intervenções coronárias complexas por via percutânea, contando com várias ações formativas ao longo de todo o ano”.
 
De acordo com o CHUC, “esta unidade conta com quatro salas de intervenção e a partir do próximo ano contará também com uma sala híbrida no serviço de Cirurgia Cardíaca”.
 
A sala híbrida, com capacidade para fazer intervenções cirúrgicas cardíacas e intervenções percutâneas em simultâneo, será a primeira do país.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário