É possível evitar a diabetes de tipo 1?

Estudo publicado na revista “Cell Reports”

27 maio 2019
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores analisou a exposição a certos fatores que desencadeados podem aumentar o risco de diabetes de tipo 1.
 
A diabetes de tipo 1 é uma doença autoimune em que o sistema imunitário ataca e mata as células β no pâncreas. As células β são as únicas no organismo que produzem insulina, necessária para controlar os níveis de glicose no sangue. 
 
Os índices de diabetes de tipo 1 têm vindo a aumentar no mundo inteiro. Um estudo recente demonstrou que a exposição ao vírus Coxsackie pode aumentar o risco daquela doença autoimune. Este vírus comum causa gastroenterites, miocardite e doença da mão-pé-boca.
 
A análise conduzida pela equipa liderada por Jenny Gunton, do Instituto para Investigação Médica de Westmead, em Sydney, Austrália, descobriu um fator de transcrição chave (proteínas que ajudam a ligar ou desligar genes específicos), conhecido como fator induzível por hipoxia 1-α (HIF-1α), que está ligado ao aumento daquele risco.
 
Os investigadores descobriram que ratinhos sem o fator de transcrição HIF-1α nas células β apresentavam um risco substancialmente superior de diabetes de tipo 1, após uma infeção viral, incluindo pelo vírus Coxsackie.
 
A falta de HIF-1α nas células β fez aumentar a morte daquelas células, o que por sua vez fez aumentar a incidência de diabetes de tipo 1.
 
Segundo Jenny Gunton, estes achados demonstram o papel essencial desempenhado pelas células-β no risco da diabetes.
 
“Se forem saudáveis, as células β recuperam normalmente após stresses como infeções virais e a diabetes não se desenvolve. Mas se as células β não reagirem bem a esses stresses, pode desencadear-se o processo imunitário que conduz à diabetes de tipo 1”, explicou.
 
Sendo assim, o fator de transcrição HIF-1α poderá constituir uma via potencial para o desenvolvimento de novas medidas preventivas e sugere a possibilidade de uma vacina contra o vírus Coxsackie poder ajudar a prevenir a diabetes de tipo 1 em pessoas em risco.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário