Dieta mediterrânica poderá impedir excessos alimentares

Estudo publicado na “Obesity”

26 abril 2019
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores descobriu que primatas não-humanos que seguiram uma dieta mediterrânica não consumiram todos os alimentos disponíveis, mantendo um peso normal.
 
Por outro lado, “como comparação, os animais com uma dieta ocidental comeram muito mais do que necessitavam e aumentaram de peso”, indicou Carol Shivery, investigadora que liderou a equipa, da Escola de Medicina do Centro Médico Batista Wake Forest, nos EUA.
 
Os achados foram apurados no âmbito de um ensaio pré-clínico que mediu os efeitos do consumo prolongado de uma dieta ocidental, por oposição a uma dieta mediterrânica, sobre as doenças relacionadas com a obesidade, em macacos.
 
As dietas foram formuladas de forma a refletirem, de forma muito aproximada, as dietas humanas, com proteínas e gorduras derivadas maioritariamente de fontes animais no caso da dieta ocidental, e de fontes vegetais no caso da dieta mediterrânica. As duas dietas continham proporções semelhantes de gordura, proteína e hidratos de carbono.
 
O ensaio teve a duração de 38 meses, o que equivale a nove anos para os humanos, e envolveu 38 macacos fêmea de meia-idade. 
 
Os primatas foram divididos em dois grupos, com animais com peso e gordura corporal semelhantes em cada grupo. Um dos grupos recebeu a dieta ocidental e o outro a dieta mediterrânica. Todos os macacos tinham a liberdade de comerem as quantidades de alimentos que desejassem.
 
Carol Shivery apontou que “com efeito, o grupo com a dieta mediterrânica comeu menos calorias, apresentava menos peso corporal e menos gordura corporal do que o da dieta ocidental”. 
 
Os achados demonstram que a dieta mediterrânica protege contra o consumo alimentar excessivo, obesidade e pré-diabetes em relação à dieta ocidental.
 
“A dieta ocidental foi desenvolvida e promovida por empresas que querem que consumamos a sua comida, e assim tornam-na muitíssimo apelativa, o que significa que vai de encontro ao que nos agrada e consumimos demasiado. Consumir uma dieta mediterrânica deverá fazer as pessoas apreciarem a comida e não consumirem em excesso (…)”, concluiu Carol Shivery.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário