Consumo elevado de fibra associado a menos doenças crónicas

Estudo publicado na “The Lancet”

15 janeiro 2019
  |  Partilhar:
O consumo de uma quantidade elevada de fibra foi associado a um risco menor de doenças crónicas, indicou uma meta-análise a vários estudos.
 
A meta-análise, que contou com quase 40 anos de estudos, foi conduzida por uma equipa de investigadores liderada por Andrew Reynolds da Faculdade de Medicina da Universidade de Otago, Nova Zelândia. 
 
Para o estudo, que foi comissionado pela Organização Mundial de Saúde para fins de desenvolvimento de novas recomendações sobre o consumo diário ideal de fibra, os investigadores analisaram 185 estudos observacionais com dados relativos a 135 milhões de pessoas/ano, e 58 ensaios clínicos que envolviam 4.635 pessoas adultas. 
 
A equipa focou a sua análise nas mortes prematuras devidas a doença coronária, doença cardiovascular e acidente vascular cerebral (AVC), e incidência de diabetes de tipo 2, cancro colorretal e cancros associados à obesidade (endométrio, mama, esófago e próstata). 
 
Os autores apenas envolveram estudos com pessoas saudáveis, pelo que os achados não podem ser aplicados a pessoas com doenças crónicas existentes.
 
Foi observado que por cada aumento de 8 gramas diários de fibra na alimentação, o total de mortes e incidência de doença coronária, diabetes de tipo 2 e cancro colorretal diminuíam entre 5 e 27%.
 
O consumo de 25 a 29 gramas diários de fibra revelou-se adequado; os estudos sugerem, contudo, que quantidades mais elevadas podem proporcionar uma proteção ainda maior.
 
Por cada 15 gramas de consumo adicional diário de fibra, o total de mortes e incidência de doença coronária, diabetes de tipo 2 e de cancro colorretal diminuíam entre 2 a 19%. Os consumos mais elevados traduziam-se numa redução de 13 a 33% nas doenças.
 
Os investigadores apuraram ainda uma redução no peso corporal e diabetes com um consumo elevado de fibra, em relação a um consumo reduzido.
 
Finalmente, o estudo apurou ainda que a alimentação de baixo índice glicémico oferece apenas limitada proteção contra a diabetes de tipo 2 e AVC.
 
Os autores concluem que os achados justificam que as diretrizes nutricionais recomendem um aumento no consumo diário de fibra.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário