Comportamento social dos adolescentes não é “devido às hormonas”

Estudo publicado na “Current Biology”

22 março 2018
  |  Partilhar:
As hormonas reprodutoras que se desenvolvem durante a puberdade não são responsáveis pelas alterações nas relações sociais que ocorrem na adolescência, sugere um novo estudo.
 
Segundo Matthew Paul, da Universidade em Buffalo, EUA, e investigador que liderou o estudo, a adolescência é um período crítico do desenvolvimento: dão-se alterações cognitivas, emocionais e sociais e surgem as doenças mentais. 
 
As alterações na esfera social do adolescente consistem na passagem do seu enfoque sobre os pais e família para os amigos. 
 
A puberdade é um conceito bem menos abrangente do que o de adolescência em termos biológicos: é simplesmente o processo de desenvolvimento da capacidade de um indivíduo poder reproduzir-se, desenvolvendo-se as características sexuais secundárias e o aumento das hormonas gonadais.
 
Considera-se que as alterações sociais na adolescência são devidas às hormonas gonadais da puberdade. Mas não é bem assim.
 
A equipa de investigadores liderada por Matthew Paul, usou ratinhos siberianos para estudar a puberdade e adolescência. Estes ratinhos conseguem controlar o desencadeamento da puberdade. 
 
Os ratinhos nascidos no início do período de reprodução (quando os dias são longos), entram na puberdade muito rapidamente, cerca de 30 dias após o nascimento, para poderem reproduzir-se ainda naquela estação. Os nascidos no fim do período, atrasam a puberdade para 100 dias após o nascimento para não darem à luz a meio do inverno.
 
A equipa analisou a transição de lutas de brincadeira para a dominação social, em que os ratinhos vão procurar o seu próprio território. 
 
“Brincar é um comportamento importante em muitas espécies, especialmente mamíferos”, disse Mathew Paul. “Devido ao facto de a brincadeira ser expressada por tantas espécies, provavelmente tem uma função importante, incluindo nos humanos. Sugere também que o que aprendemos com os nossos hamsters deverá observar-se em muitas outras espécies”. 
 
A equipa observou que a transição para a dominação social ocorria na mesma altura em ambos os grupos, independentemente do desencadeamento da puberdade. Para os ratinhos nascidos nos dias mais curtos a transição já tinha ocorrido mesmo antes do início da puberdade, o que constitui um achado surpreendente.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentário