Carfilzomib afeta saúde cardiovascular em pacientes com mieloma múltiplo

Estudo publicado na revista “JAMA Oncology”

03 janeiro 2018
  |  Partilhar:
Um novo estudo demonstrou que o inibidor de proteassomas, conhecido como carfilzomib, usado no tratamento do mieloma múltiplo, acarreta um risco de problemas cardiovasculares maior do que se pensava.
 
O estudo conduzido por uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade da Pensilvânia, EUA, teve como base a análise de estudos anteriores que revelaram que quase um quinto dos pacientes com mieloma múltiplo que tinham sido tratados com carfilzomib tinham sofrido eventos cardiovasculares adversos como arritmia, hipertensão e insuficiência cardíaca.
 
Como se sabe, o fármaco carfilzomib atua sobre os proteassomas, inibindo-os. Os proteassomas têm como função quebrar e eliminar as proteínas dentro da célula. As doenças como o mieloma múltiplo que requerem uma maior quantidade de proteínas para sobreviver necessitam de mais proteassomas. 
 
Ao serem inibidos, os proteassomas são impedidos de executarem a sua função, fazendo com que as células fiquem cheias de proteína e morram.
 
No entanto, “tal como qualquer terapia para o cancro, a preocupação com esta abordagem é que pode exercer efeitos sobre uma parte saudável do corpo – neste caso o coração”, disse Adam J. Waxman, autor principal do estudo.
 
Para o estudo, o investigador e colegas analisaram dados de 24 estudos entre 2007 e 2017, que possuíam informação relativa a 2.594 pacientes com mieloma múltiplo. 
 
Foi apurado que 18,1% dos pacientes que tinham sido tratados com carfilzomib tinham sofrido um evento cardiovascular adverso, tendo 8,2% daqueles casos sido considerados graves. 
 
Em contrapartida, nos pacientes tratados com bortezomibe, outro inibidor de proteassomas, os eventos cardiovasculares adversos foram de apenas 3,8%, sendo que apenas 2,3% dos eventos eram graves.
 
A equipa considera estes achados particularmente importantes uma vez que já existem fatores de risco que se sobrepões, tanto para o mieloma múltiplo, como para as doenças cardiovasculares, que é o caso da idade avançada e da obesidade.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário